Ato de Dar Esmolas

MAKTUB

Uma das coisas que fazem parte do treinamento dos monges zen-budistas é uma prática conhecida com “takuhatsu” – a peregrinação para mendigar.

Além de ajudar os mosteiros que vivem de doações e forçar o discípulo a ser um humano mais humilde, esta prática tem um outro sentido: purificar a cidade onde ela vem a acontecer.
Segundo a filosofia Zen, aquele que é o doador, o que assume o papel de pedinte e a própria esmola que é dada de um para o outro fazem parte de uma importante cadeia que gira em torno do equilíbrio.

Aquele que pede assim o faz porque está precisando. E aquele que dá a esmola também age dessa maneira porque está precisando de ajuda.
A esmola acaba servindo como uma ligação entre as duas necessidades e o ambiente da cidade se torna cada vez melhor,  já que todos puderam realizar boas ações, daquelas que precisavam fazer acontecer para a vida ser melhor.

(Coluna Maktub – Paulo Coelho – Revista Diversão Extra – 18/Fev/2011)
Anúncios

Sobre inacioqueiroz

Busco estudar a obra do Chico Xavier, porta-voz de grandes inteligências. Ao longo da leitura, me emociono e reavalio minhas certezas e dificuldades. Espero que esta seja uma pequena contribuição na grande obra do bem.
Esse post foi publicado em Generalidades. Bookmark o link permanente.