12-Nossa Felicidade

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 12-Nas Leis do Amor)
Reunião pública de 27-2-61
CI – 1a Parte – Cap. III – Item 12.

12-Sono Eterno– Vou ter muito tempo para descansar depois da morte!

Você já ouviu esta expressão?

Se alguém te fala em descanso inútil depois da morte, pensa nos que sofrem por amor, na experiência terrestre.” – pondera Emmanuel.

E Emmanuel nos faz lembrar nessa meditação das pessoas que, por amor, renunciam à seus momentos de alegria e paz em prol dos entes queridos que sofrem.

Nós os vemos todos os dias, mas raramente percebemos a imensidão do amor que os move.

12-visitantes_na_masculinaVemos as mães e esposas se acotovelando nas visitas aos presídios, suportando filas, sujeitando-se a humilhantes revistas e exames, ambientes desagradáveis e reprimendas.

Mas ainda preferem estar lá do que estar numa casa tranquila, encharcando os olhos com lágrimas.

Vemos as famílias nos Hospitais e CTI’s, nos longos acompanhamentos aos comatosos, nas intermináveis sessões de fisioterapia.

Em muitos, é nítido o esforço e o cansaço, mas não trocam este compromisso pelo ócio ou por distrações onde não terão descanso da preocupação.

12-VisitandoVemos as visitas nos manicômios e asilos, as conversas com os médicos e as trocas de remédios, os docinhos e salgados que alegrarão aqueles que precisaram de confinamento para cuidados especiais.

Nem se cogita em elaborar, nessas horas, passeios e diversões outros quaisquer, lembrando que aquele coração querido não receberia a visita de ninguém.

Assim também age quem chamamos verdadeiramente de amigo.
Este não questiona se precisa mergulhar fundo para resgatar o amigo que afundou.

Isso acontece na Terra, onde o amor ainda se mistura ao egoísmo, qual o ouro perdido na ganga do solo.” – assinala Emmanuel.

12-AlemSe na Terra, onde dispomos de sentimento de amor tão pobre e imperfeito perante as Esferas Superiores, se aqui já encontramos tanta renúncia e abnegação, imaginemos quando estivermos clareados pela visão do Plano Espiritual?

Encontraremos lá, é claro, também a paz de consciência e a alegria por cada dever nobremente cumprido.

Mas se tivermos alguma chance de auxiliar a quem amamos e que ainda está no caminho ou mesmo chance de permanecer naquela mesma atividade onde dedicamos anos de talento e coração, como não pensar em continuar no esforço?

Com o tempo, finalmente entenderemos que a felicidade não poderá ser desse mundo enquanto houver uma única pessoa no mundo que desconheça a verdadeira felicidade.

12-jesus_criancasNosso dever, então, é levar a nossa felicidade para aqueles que partilham a estrada conosco.

Conforme nosso Pai coloriu a escuridão da noite com estrelas e os espinhos das flores com pétalas, é nossa missão colorir o rosto de cada irmão com sorrisos, entendimentos, consolação e alegrias.

Trabalharemos e sofreremos, assim, por amor, pelos séculos adiante, ajudando-nos uns aos outros a erguer a felicidade de nosso nível, até que possamos entrar, todos juntos, na suprema felicidade que consiste em nossa união com Deus para sempre.” (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
CAPÍTULO III – O CÉU

12.A felicidade dos Espíritos bem-aventurados não consiste na ociosidade contemplativa, que seria, como temos dito muitas vezes, uma eterna e fastidiosa inutilidade.

A vida espiritual em todos os seus graus é, ao contrário, uma constante atividade, mas atividade isenta de fadigas.

A suprema felicidade consiste no gozo de todos os esplendores da Criação, que nenhuma linguagem humana jamais poderia descrever, que a imaginação mais fecunda não poderia conceber. Consiste também na penetração de todas as coisas, na ausência de sofrimentos físicos e morais, numa satisfação íntima, numa serenidade d’alma imperturbável, no amor que envolve todos os seres, por causa da ausência de atrito pelo contacto dos maus, e, acima de tudo, na contemplação de Deus e na compreensão dos seus mistérios revelados aos mais dignos. A felicidade também existe nas tarefas cujo encargo nos faz felizes. Os puros Espíritos são os Messias ou mensageiros de Deus pela transmissão e execução das suas vontades. Preenchem as grandes missões, presidem à formação dos mundos e à harmonia geral do Universo, tarefa gloriosa a que se não chega senão pela perfeição. Os da ordem mais elevada são os únicos a possuírem os segredos de Deus, inspirando-se no seu pensamento, de que são diretos representantes.

*** Curiosidades ***

-Olhar a morte como “descanso eterno” faz parte ainda da nossa concepção de felicidade no ócio. Os espíritos superiores nos avisam que a verdadeira felicidade está em nossa paixão pelo trabalho bem efetuado, mesmo além do plano carnal. Portanto, você pode até tentar ficar deitado no caixão esperando chegar o sono eterno … mas não será uma experiência nada agradável.

-Humberto de Campos, nosso querido Irmão X, conta que um grupo de amigos desencarnados aguardava alegremente o despertar de um amigo no plano espiritual. Enquanto vivo, ele conquistara o carinho de todos, espíritas, católicos e evangélicos, sendo esta última a doutrina que abraçara com fervor, dedicação e retidão. Terminado o féretro, todos esperavam que ele se afastasse do caixão e viesse distribuir abraços e matar a saudade … mas nada!
Alguém lembrou: – Pela crença dele, os mortos se levantarão só quando ouvirem o toque das trombetas de Josafá anunciando o Dia do Julgamento Final.
Alguém arranje uma trombeta, então, por favor!! ??
E o amigo querido se levantou e pode receber os abraços de todos aqueles que o esperavam!

-Sempre defendi que o amor nunca faz sofrer. Digo que sempre que nosso sentimento traz algum sofrimento, isso significa que o amor está misturado com outros sentimentos: paixão, apego, egoísmo, vaidade, preguiça e outros. Entretanto, Emmanuel conclui esta meditação com a frase “Trabalharemos e sofreremos, assim, por amor, …”. Apesar de reconhece-lo como meu mestre, eu tendo a não concordar com esta afirmação, a não ser que consideremos que ele está se referindo ao nosso imperfeito amor.
E ele dá isso a entender na frase transcrita lá no início: “Isso acontece na Terra, onde o amor ainda se mistura ao egoísmo…“.
Mas … aguardo a contribuição de todos …

-A expressão “felicidade de nosso nível“, usada por Emmanuel, refere-se a felicidade que é possível alcançar em nosso atual plano de consciência. Brilhante!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s