23-Ontem e Hoje

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 23-Na Luz da Reencarnação)
Reunião pública de 21-4-61
CI – 1a Parte – Cap. VII – Item 3 inciso 17.

23-Herdeiro2Somos todos herdeiros de nós mesmos.
Muito mais do que podemos imaginar!

Sabe aquela dor desagradável, que a gente já até carrega o remédio sempre dentro da bolsa?

O abuso de ontem é o corpo adoecido de hoje.

E a atrofia, a mutilação, a miopia (essa eu conheço bem!), gagueira, até mesmo cicatrizes?

O gasto na delinquência de ontem é quitado com a deformidade de hoje.

E a cabeça que falha, o raciocínio que não alcança, a epilepsia, a demência?

O pensamento trevoso de ontem é o cérebro hebetado de hoje.

23-MatutoE a pobreza, a carência financeira desde infância ou mesmo momentânea, a oportunidade que nunca aparece, a falência iminente?

O mergulho no supérfluo de ontem, insensível à carência dos outros, traz a carência atual.

E aquele cônjuge difícil, verdadeiro carrasco, aquele familiar problemático, pai ou mãe indiferentes ou sempre críticos, filhos ingratos, agressivos ou marginais?

O credor não pago ontem retorna cobrando a dívida, com multa e juros de mora.

Todos somos capazes de fazer o melhor, porquanto, pelas tentações e provas de hoje, podemos avaliar o ponto de trabalho em que a vida nos impele a sanar os erros do passado, clareando o futuro.” – observa Emmanuel.

23-JesusEstamos todos aqui trabalhando para alcançar nossa perfeição.

E, a cada reencarnação, nos aproximamos mais de nosso objetivo.

E toda falha, na direção de obra perfeita, exige naturalmente corrigenda e recomeço.

(Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
CAPÍTULO VII – As Penas Futuras segundo o Espiritismo

Item 3 – Código Penal da Vida Futura

 O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no que respeita ao futuro da alma, deduzida das observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

Item 1º — A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as consequências de todas as imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

Item 17º — O arrependimento pode dar-se por toda parte e em qualquer tempo; se for tarde, porém, o culpado sofre por mais tempo.

Até que os últimos vestígios da falta desapareçam, a expiação consiste nos sofrimentos físicos e morais que lhe são consequentes, seja na vida atual, seja na vida espiritual após a morte, ou ainda em nova existência corporal.

A reparação consiste em fazer o bem àqueles a quem se havia feito o mal. Quem não repara os seus erros numa existência, por fraqueza ou má vontade, achar-se-á numa existência ulterior em contacto com as mesmas pessoas que de si tiverem queixas, e em condições voluntariamente escolhidas, de modo a demonstrar-lhes reconhecimento e fazer-lhes tanto bem quanto mal lhes tenha feito. Nem todas as faltas acarretam prejuízo direto e efetivo; em tais casos a reparação se opera, fazendo-se o que se deveria fazer e foi descurado; cumprindo os deveres desprezados, as missões não preenchidas; praticando o bem em compensação ao mal praticado, isto é, tornando-se humilde se se tem sido orgulhoso, amável se se foi austero, caridoso se se tem sido egoísta, benigno se se tem sido perverso, laborioso se se tem sido ocioso, útil se se tem sido inútil, frugal se se tem sido intemperante, trocando em suma por bons os maus exemplos perpetrados. E desse modo progride o Espírito, aproveitando-se do próprio passado.**

———————-

** A necessidade da reparação é um princípio de rigorosa justiça, que se pode considerar verdadeira lei de reabilitação moral dos Espíritos.  
Entretanto, essa doutrina religião alguma ainda a proclamou.
Algumas pessoas repelem-na porque acham mais cômodo o poder quitarem-se das más ações por um simples arrependimento, que não custa mais que palavras, por meio de algumas fórmulas; contudo, crendo-se, assim, quites, verão mais tarde se isso lhes bastava.
Nós poderíamos perguntar se esse princípio não é consagrado pela lei humana, e se a justiça divina pode ser inferior à dos homens?
E mais, se essas leis se dariam por desafrontadas desde que o indivíduo que as transgredisse, por abuso de confiança, se limitasse a dizer que as respeita infinitamente.
Por que hão de vacilar tais pessoas perante uma obrigação que todo homem honesto se impõe como dever, segundo o grau de suas forças?
Quando esta perspectiva de reparação for inculcada na crença das massas, será um outro freio aos seus desmandos, e bem mais poderoso que o inferno e respectivas penas eternas, visto como interessa à vida em sua plena atualidade, podendo o homem compreender a procedência das circunstâncias que a tornam penosa, ou a sua verdadeira situação.

*** Curiosidades ***

-Muitos associam Karma, ou a Lei do Retorno, com sofrimento. Porém, ela não é boa nem ruim; ela é apenas retorno. Bons ou ruins fomos nós em alguma etapa de nossa caminhada. 

– A verdade é que não trabalhamos este mecanismo a nosso favor, como fazem os budistas. É comum vermos em filmes sobre o Budismo os monges entrando no templo e girando dezenas, centenas talvez, de rodas que representam a Roda do Karma. Cada pequena roda girada representa uma ação ou pensamento positivo que ele deseja que rode e retorne para ele mesmo. Em cada pensamento, palavra e ação, estamos fazendo girar a Roda do nosso Karma. O seu giro tem sido positivo?

-O compromisso com a caridade é uma forma de disciplinar que eu sempre tenha dia e hora na minha vida para aprender e praticar o giro do Karma em meu benefício. Fora da Caridade não há salvação!

-Sempre me perguntei como os fatos se ligam de um encarne para outro. Qual o mecanismo que provoca que eu perca o pé hoje por ter arrancado um pé ontem? Alguns falam em roteiros escolhidos: porque minha consciência me condena, eu escolho essa perda antes de encarnar e assim, esquecido da escolha que fiz, venho a perder o pé. Gosto muito de outra explicação que trabalha com a Lei de Atração: eu carrego sentimentos e condicionamentos nesse encarne que me aproximam da situação de perigo e me fazem colocar em risco o pé dentre outras partes do corpo. Arriscando mais o pé, eu acabo perdendo e vivenciando a dor do que é ter um pé arrancado por alguém.

-Se a Lei de Atração for correta, significa que sentimentos e condicionamentos atravessam de um encarne para outro, apesar de esquecermos os fatos objetivos. Logo, para saber quem fomos, não é necessário fazer regressão. Basta observar sentimentos e condicionamentos. Por que eu gosto mais disso do que daquilo? Por que não gosto nada daquilo outro? Por que eu reajo assim nessa situação e não assado? (Responda isso e saberá quem foi você e quem ainda é.)

Anúncios

8 respostas para 23-Ontem e Hoje

  1. EU CAI QUEBREI O BRAÇO TIVE FAZER CIRURGIA E TRISTE DOR DIA E NOITE, UMA PLACA NO BRAÇO, SÓ TENHO MEU LADO UMA FILHA QUE VOLTOU VIVER COMIGO! AS V~EZES ELA ESTA MAL HUMURADO , EU FICO CALADA NA MINHA E ORO! AS VEZES FICO UMA SEMANA SEM BANHO, ETC! DEPOIS DE TANTO PENAR ELA TRABALHA . LEVANTA 830 OU MAIS ARRUMA COMIDA E 12 HS TEM ESTAR TRABALHO! MAIS PENSANDO COMO ELA FOI E É AGORA E UMA BENÇÃO! SOU FELIZ DE VE-LA FELIZ MEU BRAÇO DÓI AGRADEÇO AS BENÇÕES!

    • inacioqueiroz disse:

      Muita força, amiga!
      Todos nós temos nosso padecimento, nosso “cadinho”, onde dores e perturbações nos trazem esclarecimento e iluminação.

      Não é a dor que nos faz evoluir, mas a forma como vivencio o momento de dor.
      Se mergulho meu coração na revolta, a dor não ajudará em minha evolução espiritual.
      Mas, se faço como você está fazendo, percebo as bênçãos do alto e agradeço pela proteção e amparo que venho recebendo, estarei trabalhando a minha evolução e abreviando meu tempo de dor.

      Continue assim!
      Os bons anjos do Senhor não te abandonaram em sua provação.
      Inacio

  2. presiso de seu apoio para ser feliz

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Laura,

      Todos apoiamos uns aos outros em nossa caminhada rumo a felicidade.
      Mas saiba que ninguém faz a felicidade de ninguém.
      A felicidade sempre depende de nós, de nossas ações.

      Um bom caminho: faça a felicidade de quem está perto de você.
      Trabalhe intensamente, com compromisso, pela felicidade dos outros.
      Tudo que entregamos para a vida, ela retorna para a gente por caminhos inesperados.
      A felicidade que fazemos para os outros será um dia a nossa felicidade.

      Abração,
      Inacio

  3. TEM QUE TER MUITO CUIDADO NA INTERPRETAÇÃO, DAS EXPLICAÇÕES! << SAIBAM QUE O ESPIRISTIMO VEM ANTES DE CRISTO E FOI KARDEC QUE DESVENDOU E TEVE A CORAGEM A SABEDORIA, DE ESCREVER E ENSINAR DENIZAR FOI É UM GÊNIO! EU O SOU ESPERITA DESE PEGUENA E < SÓ SEI QUE NADA SEI!!!;…

    • inacioqueiroz disse:

      Linda observação, Benedicta.
      Você está correta quando diz que a Doutrina dos Espíritos é anterior a Jesus.
      Kardec apenas colocou-a por escrito cercando-a com perguntas, ou seja, codificou-a.
      Muita coragem dele, visto que toda sociedade da época respirava ou Catolicismo ou ateísmo.
      Muita sabedoria dele, porque usou o método científico onde antes só havia superstição.

      Não só foi um gênio, mas foi amparado por inúmeros espíritos de grande envergadura moral, intelectual e emocional.
      Um abração e obrigado,
      Inacio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s