26-Impedimentos

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 26-No Campo do Espírito)
Reunião pública de 1-5-61
CI – 1a Parte – Cap. VII – Item 3 inciso 30.

26-7 Pecados“Não nos deixeis cair em tentação, …” – diz a Oração do Pai Nosso.

Quais tentações? Dinheiro? Sexo? Poder?

Atribui-se a primeira lista de “crimes e paixões” que nos impedem de alcançar o Reino dos Céus ao monge grego Evágrio do Ponto (345-399 d.C.).

Ele relacionou 8 culpas (sim, eram 8 porque Melancolia foi considerada, até ser agregada a Preguiça para reduzir a lista para sete itens). Estas foram revisadas pelo Papa Gregório I e, assim, reduzidas a 7 Pecados Capitais:

1. Gula (desejo insaciável pela ingestão, seja comida ou bebida)
2. Avareza (Apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e dinheiro)
3. Luxúria (Desejo passional e egoísta pelo prazer corporal ou material)
4. Ira (O intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor ou vingança)
5. Inveja (Desejo descontrolado por posses, status, habilidades ou algo de outras pessoas)
6. Preguiça (A contínua falta de esmero, de empenho, o desleixo, lentidão ou negligência)
7. Soberba (O orgulho excessivo, a arrogância e a vaidade)

Ao iniciar esta meditação, não tive como deixar de lembrar desta lista tão comentada pela tradição católica!

Nesse capítulo, Emmanuel relaciona como pequenos eventos de nossa vida nos colocam diante de impedimentos, baqueando nossa sincera disposição de alcançar as Esferas Superiores.

E26-brigasm casa, quando vivenciamos a falta de entendimento.
Nos grupos, quando companheiros exemplares mostram falências.
Nos escândalos, nas horas das afirmações injustas e difamantes contra nossa atuação.

Nos amigos queridos, que suspeitaram quando mais precisávamos da confiança deles.
No ouvido surdo da multidão, que coloca-se indiferente às verdades que anunciamos.
No amor que é retribuído com menosprezo e zombaria.

Todos esses problemas, no entanto, são desafios da vida a te pedirem trabalho.” – alega Emmanuel.

Em todas elas, podemos responder aumentando nossa sombra, caindo em tentação e atiçando nossa paixões capitais, ou podemos exercitar nosso silêncio, sem acusações, e renovar nosso bom ânimo.

Assim define Emmanuel alguns perigosos componentes de nossa caminhada:

26-pedras1. Injúria (A palavra que se fez lodo)
2. Queixa (A semente que já morreu)
3. Reclamação (A rota de fuga ardilosamente estudada)
4. Censura (A ponta, o início fino e doloroso do espinho)
5. Melindre (A erva daninha, que alastra qual praga destruidora)
6. Irritação (O tempo que se desperdiça com nada e para nada)
7. Ideal paralisado (A água que, parada, irá apodrecer)
8. Desalento (O galho que, por estar seco, nada suporta)

Toda movimentação a nossa volta é energia para nosso avanço.
Toda ação traz em seu bojo nosso resgate e nossa evolução.

“Evolução é suor indispensável.
“Resgate é suor necessário com o pranto da consciência.” – afirma Emmanuel.

Portanto, quando alguma situação for dolorosa, imediatamente lembremos que estamos diante de alguma falha nossa em processo de correção ou de alguma culpa nossa em processo de 26-Jesusremissão.

“A Lei estabelece, porém, que as provas e as penas se reduzam, ou se extingam, sempre que o aprendiz do progresso ou o devedor da justiça se consagre às tarefas do bem, aceitando, espontaneamente, o favor de servir e o privilégio de trabalhar.”  (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
CAPÍTULO VII – As Penas Futuras segundo o Espiritismo 

CÓDIGO PENAL DA VIDA FUTURA

O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no que respeita ao futuro da alma, deduzida das observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

1º — A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as conseqüências de todas as imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

Item 30º — Subordinadas ao arrependimento e reparação dependentes da vontade humana, as penas, por temporárias, constituem concomitantemente castigos e remédios auxiliares à cura do mal.

Os Espíritos, em prova, não são, pois, quais galés por certo tempo condenados, mas como doentes de hospital sofrendo de moléstias resultantes da própria incúria, a compadecerem-se com meios curativos mais ou menos dolorosos que a moléstia reclama, esperando alta tanto mais pronta quanto mais estritamente observadas as prescrições do solícito médico assistente.

Se os doentes, pelo próprio descuido de si mesmos, prolongam a enfermidade, o médico nada tem que ver com isso.

*** Curiosidades ***

Os espíritos nos dizem que todos os males da humanidade são provenientes do egoísmo, que é a negação da caridade, e do orgulho, mãe da soberba, da vaidade e negação de todo perdão. Estes são as verdadeiras raízes de todos os outros sentimentos daninhos.
A verdade é que enquanto não conseguirmos renovar nosso coração, não sairemos da escola da Terra.

-Mas, como nos diz Kardec no texto acima, não vivemos castigos e sim lições acompanhadas de tratamentos terapêuticos. Quem encara a Terra como castigo, ainda precisa repassar a lição da paciência, da boa vontade e da alegria de simplesmente viver.

-Assim como os outros pecados capitais, a Melancolia era associada a ação de um demônio que possuía e forçava a pessoa naquela postura. Na Wikipédia tem o nome de cada demônio para cada pecado. Realmente, quem observa a prostração de uma pessoa melancólica, facilmente crê numa ação demoníaca. Mas a Doutrina nos esclarece que não há demônios, antes sim espíritos de pessoas longamente devotadas ao mal. E eles só podem atuar quando há sintonia entre obsessor e obsidiado.

-Para agrupar preguiça e melancolia, o Papa Gregório I empregou o termo “acídia“, assim como depois usaram “soberba” para agrupar orgulho e vaidade. Podemos tranquilamente notar que o termo acídia “não pegou”. rsrsrs

-O último parágrafo da meditação acima é uma pérola.
Se eu aceito espontaneamente o privilégio de trabalhar, se eu recebo o favor que a Divindade me faz ao me colocar em serviço das tarefas do bem, a Lei determina que as provas e as penas se reduzam ou mesmo se extingam.
Nessa frase, Emmanuel ratifica a idéia de que o esforço no bem, na caridade, nada mais é que benção para nossa própria vida.

Anúncios

4 respostas para 26-Impedimentos

  1. Ana Silva disse:

    Difícil, muito complicado. Certamente isso faz parte de um carma coletivo. Enfim, que estejamos preparados. Não há justificativa para tanta roubalheira. Que só se justifica pela impunidade.
    Acredito que fazemos parte de tudo isso – é como um grande espelho.
    Obrigada pelo comentário.

  2. Ana Silva disse:

    Se todos se dedicassem ao estudo e a leitura da obra psicografada por Chico Xavier, viveríamos em uma sociedade muito melhor – a auto análise se faz necessária no dia a dia, com base nos ensinamentos e depoimento dos espíritos mais evoluidos que nós. É impressionante a confusão que fazemos por causa da falta de visão e consciência de nós mesmos. Somos uma humanidade de coração endurecido – temo que,ainda estamos muito distantes do objetivo maior!Tantos já encarnaram para deixar os melhores exemplos de fé e caridade, mas o mundo continua cego, surdo e mudo. Não consigo enxergar luz ao final do túnel. Nosso país, a pátria do evangelho, é o pior exemplo, ou, um dos piores exemplos de gestão pública – há uma ganância generalizada e uma ameaça terrível paira sobre as nossas cabeças.O poder público foi assaltado por uma qualdrilha de malfeitores. Eu me pergunto, de onde surgiu tudo isso? Fomos nós que devido ao pouco caso e a baixa moralidade permitimos que isso se instalasse em nosso país. Enfim, que Deus no ajude.

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Ana,
      Que a gente possa sempre levantar muitas orações pelos políticos.
      Eles são irmãos em duras provações com a benção do poder.
      Provações essas que certamente eu sucumbiria e me envergonharia depois.
      Eles podem ajudar a milhões ou podem criar grandes dívidas perante a justiça divina pelo egoísmo e vaidade.

      Por incrível que pareça, a corrupção quando aparece, ela mostra estar se curando.
      O mesmo princípio dos tumores: tumor fechado, doente; tumor aberto, saudável.

      Essa corrupção toda existe desde o tempo do Brasil Império.
      Qual a outra forma de curar e corrigir senão colocando no conhecimento de todos?

      Sem defesa ou ataque de qualquer partido político. Mas reafirmando a certeza de que as coisas estão melhorando sim.
      Tristes são os países sob ditaduras (e são muitos, algumas até religiosas) onde qualquer denúncia é punida com a execução sumária do denunciante.

      Mas, nesse capítulo, os espíritos sempre nos convidam ao autoconhecimeto.
      Uma boa reflexão é: como eu me sairia se estivesse diante a um mundo de dinheiro público, amigos viajando todos os anos para lugares maravilhosos (Paris, Ilhas Gregas, iates com show de artistas), com carros luxuosos e muito caros, com casas maravilhosas para toda família, com tratamentos VIP em lindos hotéis, almoços e jantares suntuosos e fartos, com médicos e remédios de última geração e … para que eu também tenha tudo isso, basta fazer o que quase todo político faz? Como eu me sairia?

      Como dizia Chico: o canto das sereias …

      Abração,
      Inacio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s