43-Juro de Mora

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 43-Corrigir e Pagar)
Reunião pública de 30-6-1961
CI – 1a.Parte – Cap. VII – Item. 3 inciso 3.

43-planisferio-mercatorCada hora, no relógio terrestre, é um passo do tempo, impelindo-te às provas de que necessitas para a sublimação do teu destino.” – ensina-nos Emmanuel.

Essa semana, um grande amigo, irmão de coração, viveu o desencarne de sua mãezinha querida.

Sempre uma hora difícil!
Por mais que aceitemos a eternidade da alma, somos todos apegados.

Em uma cerimônia repleta de paz e harmonia, muitos amigos foram abraça-lo.

43-adeus2Enquanto percebia que muitos trabalhadores espirituais amparavam a mãezinha, belas canções espiritualistas entoavam no recinto um “Até logo!”.

Todas cheias de gratidão pela convivência com aquela pessoa que é tão querida pelos familiares e amigos.

Pensei em meu silêncio: “- Por que não pode ser assim com todas as pessoas?”.

Nessa meditação, Emmanuel lembra-nos que as horas difíceis são os nossos momentos de resgate das faltas passadas. É quando temos a chance de expiar o que passou e provar que já somos vitoriosos. Ou, ao menos, treinar o caminho da vitória!

“- Um dia terrível”? Não!!
É a oportunidade de fazer-nos superiores ao amargo de algumas horas.

“- O parente é uma cruz”? Não!!
É a fornalha do lar atribulado que vem refinar o molde do nosso coração.

“- Nunca mais quero vê-lo”? Não!!
Quem deserta ou nos agride, contribui em nosso treino de silêncio e tolerância.

43-Empacado“- Nunca mais piso naquele lugar”?
Não!!

Quem nos coloca diante do dever ou de verdades, cria oportunidades para exercitarmos a tal humildade.
Aquela, que sempre lembramos aos outros que é ensino essencial de Jesus. Lembra?

“- Não aguento nem olhar para ele de novo”? Não!!
Se teremos que encarar aquele que nos feriu, aproveitemos a luminosa oportunidade de treinar a nossa pacificação.

“- Eu ainda faço porque não sou santo”? Não!!43-Escada
Cada tentação vencida é degrau que nos levará, um dia, ao prêmio daquela resistência que já não tombará mais hora nenhuma.

Todos nós sabemos que evoluir exige trabalho.
É o preço que precisará ser pago pelo nosso progresso.

Mas, mesmo aquele que não trabalha pelo seu próprio progresso, será procurado pela Lei Divina para quitar os débitos do passado nas oportunidades atuais.

Retifiquemos a estrada, corrigindo a nós mesmos.
Resgatemos nossas dívidas, ajudando e servindo sem distinção.” – orienta-nos Emmanuel.

Por amor, podemos colocar nossa boa vontade na melhoria de nós mesmos
em todas as horas.
43-JesusSejam horas boas ou ruins, difíceis ou agradáveis, sempre poderemos rever e trabalhar cada sentimento que nos assalta, aperfeiçoando nosso emocional.

Porém, na falta desse amor, a irmã dor nos convidará a rever nossa caminhada.

Tarefa adiada é luta maior e toda atitude negativa, hoje, diante do mal, será juro de mora no mal de amanhã.” (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
CAPÍTULO VII – AS PENAS FUTURAS SEGUNDO O ESPIRITISMO

CÓDIGO PENAL DA VIDA FUTURA

O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no que respeita ao futuro da alma, deduzida das observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

1º — A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as consequências de todas as imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

3º — Não há uma única imperfeição da alma que não importe funestas e inevitáveis conseqüências, como não há uma só qualidade boa que não seja fonte de um gozo.

A soma das penas é, assim, proporcionada à soma das imperfeições, como a dos gozos à das qualidades.

A alma que tem dez imperfeições, por exemplo, sofre mais do que a que tem três ou quatro; e quando dessas dez imperfeições não lhe restar mais que metade ou um quarto, menos sofrerá.

De todo extintas, então a alma será perfeitamente feliz. Também na Terra, quem tem muitas moléstias, sofre mais do que quem tenha apenas uma ou nenhuma. Pela mesma razão, a alma que possui dez perfeições, tem mais gozos do que outra menos rica de boas qualidades.

*** Curiosidades ***

– Adorei a citação de Emmanuel das frases que geralmente usamos para justificar nossa aversão às expiações! Realmente, temos muitas frases decoradas desse tipo. E geralmente não lembramos das frases do Evangelho que criam o contraponto para estas ideias. A verdade é que precisamos colocar mais a mensagem de Jesus em nossa rotina diária. Acabar com esta divisão que nos faz usar um jeito de ser no Grupo religioso e outro jeito de ser na nossa rotina semanal.

– Trocando em miúdos, tenhamos consciência que não será somente o esforço para evoluir. Será também o esforço de quitar aquilo que deixamos no passado. E como estas coisas do passado fazem para nos perseguir? Cada dificuldade nossa que as provocou, se não são trabalhadas por nós, continuam atraindo as situações e pessoas que nos farão responder por elas. Ou seja, o que não corrigirmos pelo amor (em evoluir, progredir e crescer), iremos corrigir pela dor.

– André Luíz, segundo o livro Nosso Lar, ficou no umbral por 8 anos. Chico Xavier nos conta ainda que há espíritos paralisados na época da escravidão e mesmo antes disso. Outros ainda que, por cometerem suicídio, passam anos revivendo aquele mesmo momento fatal. Seria a noção de tempo diferente no plano espiritual? Os peritos no assunto dizem que sim. A sensação de tempo fluindo do passado para o futuro não prevalece lá. Isso porque, se mesmo aqui o tempo pode passar morosamente quando estamos ansiosos e muito rápido quando estamos felizes, lá o tempo pode paralisar num momento de sofrimento extremo, pode retornar a um trauma do passado e pode mesmo assumir estados desconhecidos para nosso senso atual.
Afinal, se podemos ter uma cidade inteira (Nosso Lar) na dimensão espaço, flutuando sobre a cidade do Rio de Janeiro, por que não aceitar que a dimensão tempo também sofre grandes variações quando considerada em outra densidade material?
Um bom assunto para pesquisar …

– Meu filho me perguntou: – Por que o título “Juro de Mora”? Cada vez que agimos mal perante as dificuldades do mundo, aumentamos nossa dívida. A dificuldade irá reaparecer, porque precisamos aprender com ela. Mas voltará com a carga dos débitos de todas as vezes que estive diante dela e não soube me pautar no Evangelho. Somando ainda as chances que tive para corrigir e aprender em caminhos alternativos e não aproveitei, não me esforcei, não me preparei, não dei a devida importância.
Eis os juros de mora !!!

3 respostas para 43-Juro de Mora

  1. Marcel Amaral disse:

    Gostei bastante do seu testo pai mas, num entendi uma coisa, porque o nome do texto é “Juro de Mora” ?

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Marcel,

      Obrigado por ter lido e mais ainda por ter comentado.
      Todo crédito (sempre) para os mestres Emmanuel / Chico Xavier.

      Para entender o título, basta reler com atenção a última frase do texto, transcrição literal das palavras de Emmanuel no capítulo.
      Beijão e obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s