60-Em Trevas

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 60-Desencarnados em Trevas)
Reunião pública de 18-9-61
CI – 1a Parte – Cap. VII– Item 25.

60-portal do infernoExiste o inferno sobre a Terra.
Não, não falo de um local demoníaco onde há caldeirões e dores supliciantes.

Nem falo dos povos em guerras, dos famintos, dos doentes da AIDS ou do câncer.
Muitos que lá padecem ainda sorriem, amparam os mais sofridos, cantam a esperança e vivem uma verdadeira alegria franciscana, a felicidade possível naquele lugar.

O inferno que falo pode estar, nesse momento, ao seu lado, no peito da pessoa querida.
E nós mal o percebemos.

Os sinais das trevas interiores são sutis:
Muitas reclamações por poucas questões real
mente essenciais.
Muitas tristezas por poucas necessidades legítimas.

Muito ego em poucos valores morais.

Muita agressividade com pouca necessidade real de defesa.60-Agressivo 
Muita seriedade com escassos abraços, sorrisos e carinhos.
Muita cobrança com pouco prazer pela vida.

Ideias suicidas, homicidas, genocidas, de castas, de divisão.

O mundo não presta”, “é necessário fugir para se ter paz”.

Vítimas de tudo que plantaram dia após dia, ao longo de décadas, muitos encontram-se ainda amparados pelo amortecedor da carne, onde os soníferos, os antidepressivos e os barbitúricos proporcionam momentos de sono e esquecimento.

O que será deles quando finalmente se despojarem do escudo carnal?
Nessa meditação, Emmanuel traz uma descrição de como isso continua no além túmulo.

São trevas!
A prisão do remorso, das lembranças amargas.
Jungidos à trama dos próprios pensamentos atormentados…” – descreve Emmanuel.

Ontem, donos de palácios. Agora, trancados num túmulo.
Ontem, poderosos e insensíveis. Agora, em lágrimas que não cessam.
Ontem, repletos de bens. Agora, agarrados à mortalha.

Ontem, terras e rebanhos. Agora, alguns palmos de terra.
Ontem, opressores impiedoso dos serviçais. Agora, oprimidos pelo concreto do sepulcro.
Ontem, arrotavam conhecimentos inúteis. Agora, confusos com o desconhecido.

60-caminhando-sozinho-trevasOntem, o prazer sem limites. Agora, a dor solitária.

Ontem, títulos de destaque e honrarias. Agora, soluçando pelo chão.

Ontem, o brilho dos salões e das belas roupas. Agora, as sombras das covas.

Ontem, espalhavam terror. Agora, tremem perante os vermes.
Ontem, belíssimos. Agora, só cinzas e podridão.
Ontem, os doceis de ouro. Agora, a caixa de terra e cal.

Ontem, o discurso fácil e magnetizante. Agora, o gaguejar.
Ontem, o conhecimento farto. Agora, a loucura.

Nada disso, porém, acontece porque algo possuíssem, mas sim porque foram possuídos de paixões desregradas.” – esclarece Emmanuel.

60-ser ter fazerA perturbação não vem do “ter”.
Se temos, de alguma forma merecemos.

A perturbação vem do “reter”, vem de achar que tudo só existe para nossa satisfação e “danem-se os outros”.

E não falamos apenas de bens materiais.
Falamos também de conhecimento, de tempo livre, de atenção, de abraços, de habilidades, de carinho, de todas as tantas bençãos que cercam a nossa vida.

Se podes verificar a tortura dos desencarnados em trevas, aproveita a lição.” – convida-nos Emmanuel.

Nosso problema não é o que temos ou o que somos, mas o que fazemos daquilo que temos e daquilo que somos.
Somos todos convidados a fazer o bem NO MÁXIMO que pudermos, num franco desapego de nós mesmos.

60-lilliesE quem cuidará da gente?

Nos disse Jesus: olhai os lírios do campo e as aves do céu …
Ou seja, apenas façamos nosso esforço honesto pelo necessário … e nada deveremos temer.

Escuta o companheiro que torna do Além, aflito e desorientado, e aprenderás, em silêncio, que todo egoísmo gera o culto da morte.” Emmanuel.

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
Capítulo VII – AS PENAS FUTURAS SEGUNDO O ESPIRITISMO

CÓDIGO PENAL DA VIDA FUTURA

O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no que respeita ao futuro da alma, deduzida das observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

1º — A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as consequências de todas as imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

25º — Espíritos há mergulhados em densa treva; outros se encontram em absoluto insulamento no Espaço, atormentados pela ignorância da própria posição, como da sorte que os aguarda. Os mais culpados padecem torturas muito mais pungentes por não lhes entreverem um termo.

Alguns são privados de ver os seres queridos, e todos, geralmente, passam com intensidade relativa pelos males, pelas dores e privações que a outrem ocasionaram. Esta situação perdura até que o desejo de reparação pelo arrependimento lhes traga a calma para entrever a possibilidade de, por eles mesmos, pôr um termo à sua situação.

*** Curiosidades ***

– É muito fácil descermos dentro das trevas interiores enquanto encarnados. Há muitos comportamentos trevosos que são socialmente aceitos. Ao falar em trevas, a gente sempre pensa em álcool, drogas, sexo, crime e coisas escandalizantes. Mas hoje, a violência doméstica já aparece. O bullying nas escolas, as pessoas viciadas em trabalho, a agressividade com mal humor constante que, quando continuados, já são reconhecidos como doença, a distimia. Como o mal hálito, é muito fácil a gente ter um problema assim sem saber. Prestemos atenção nos comentários que as pessoas fazem sobre nós. Quem sabe elas não estão nos dizendo uma verdade?

– Quando o suicida se mata, achando que as dores irão acabar, ele deu um grande “fora“. Primeiro que as dores não morrem junto com o corpo, a não ser as dores por questões biológicas. Ainda assim, estas dores normalmente possuem causas profundas no perispírito e no espírito. Irão continuar no plano astral. Segundo que o corpo reduz nossas dores, ele as amortecem. É tomar um calmante ou um antidepressivo e tudo parece mais sereno. Por lógica, as dores sem o amortecedor só aumentam.  E MUITO. Terceiro, o suicida soma com as dores anteriores a nova agressão feita a si mesmo e ao corpo físico no ato do suicídio. Ou seja, o suicídio retira da gente a melhor defesa que temos contra as nossas próprias dores e só agrava nossa situação.

– Muitos me questionam sobre a necessidade de fazermos por nós mesmos em vez de ficar sempre fazendo pelos outros. Fazer por nós mesmos em excesso é egoísmo. Fazer pelos outros em excesso é baixa autoestima. A lei do Amor ditada por Jesus é: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Nos concentrando no aspecto “amar ao próximo como amamos a nós mesmos”, percebemos que tem aí um meio termo, um caminho do meio. Não posso deixar de fazer pelo meu próximo, mas farei até o ponto em que sinta que não estou me agredindo. Não posso deixar de fazer por mim mesmo, mas, sempre que sentir que posso, buscarei fazer também, em igual proporção, pelo meu próximo. E sem me iludir: se meu bem-estar não melhora a vida do meu próximo, eu fiz só por mim e não por ele. Mas o bem-estar dele, o que eu proporcionar, sempre irá melhorar a minha vida porque multiplicará meus talentos. Vamos refletir nisso?

– A primeira imagem da meditação é a Cratera de Darvaz, no Turcomenistão. É também conhecida como A Porta para o Inferno. Muito rica em gás natural, em 1971 um grupo de geólogos russos atearam fogo para consumir todo o gás. E a cratera nunca mais parou de arder em chamas.

13 respostas para 60-Em Trevas

  1. roberto disse:

    Entao voltemos para a realidade agora ate quando esse espirito preconceituoso vai continuar agindo na vida das pessoas porque claramente o Senhor ai em cima citado e muito canalha e preconceituoso a olhos vistos e digamos que sexualmente necessitado entao se nao quer ser processado por favor se atenha aos fatos senao terei que denuncia-lo por agressao verbal Senhor das verdades do inferno!!! preconceito e crime e virtualmente e um crime cibernetico se nao aguenta porq se mete!!!

  2. Ana Silva disse:

    Todos desde tenra infância deveriam ser orientados no sentido de valorização da vida através da moralidade cristã. É lamentável o comportamento equivocado em alta escala que observamos nesses dias.
    O filme ” O Lobo de Wall Street” é um ótimo exemplo do que a falta de limites e o excesso da busca pelo poder x prazer faz com a vida das pessoas.

  3. Dani de Faria disse:

    Ah! Desculpe não consegui resistir….fofinho com todo respeito ao Lao-Tsé, nem sempre dizer que não tem tempo quer dizer eu não quero. É como já expliquei acima.
    O exemplo que você deu, meu anjo, foi totalmente sem lógica. Você quer comparar o ato de fazer caridade, de amar ao próximo como a si mesmo com necessidades fisiológicas. Praticar caridade SEMPRE FOI, SEMPRE É E SEMPRE SERÁ o ato mais importante e urgente de nossa jornada neste planeta de provas e expiações e mesmo assim você pode passar a vida inteira sem praticá-la. A questão é: estamos naquele momento preparados psicológica e espiritualmente. Acredito não ser preciso repetir aqui as palavras de São Paulo, né?!
    Eu posso NÃO QUERER ir ao banheiro naquele momento, mas por uma necessidade fisiológica acabo sendo impelida a ir.
    Bjbj
    Dani de Faria

    • inacioqueiroz disse:

      Obrigado por ter coragem de discordar, minha loira.
      Isso enriquece nosso trabalho.

      Então, nosso objetivo é que a caridade se torne tão forte em nosso interior que tenha o peso de uma necessidade fisiológica.
      É possível? É sim. São aquelas situações que a gente não faz o certo e depois fica passando mal.

      Vi o musical “Os Miseráveis” esse final de semana.
      A história de Victor Hugo, um condensado dos muitos volumes, fala justamente dessa intensidade de uma remissão.
      Terminei o filme em lágrimas e profundamente impressionado.
      O filme termina com a seguinte frase: “Amar outra pessoa é como ver a face de Deus.”

      No protagonista, fazer o bem já não era um objeto de interesse, mas uma necessidade fisiológica.
      Ele prova isso com grandes sacrifícios por mais de uma vez ao longo do filme.

      E ai alguém diz: é só uma ficção, isso não existe.
      Alguém disse sobre Gandhi: as gerações futuras ouvirão a história dele e dirão que não acreditam que tal pessoa existiu.

      Lindo. Um dia encontrarei em mim esse estágio de evolução.
      Beijão e obrigado.
      Inacio

    • Dani de Faria disse:

      Ai….desisto!!!! Mas continuo com minha opinião.
      Prefiro as palavras de São Paulo sobre caridade. Não foi por acaso que o próprio Mestre Jesus apareceu a ele e o escolheu para evangelizar os gentios. Eu sou a herança de São Paulo. O Apóstolo dos Gentios.

      Bjbj, da sua loira,

      Dani de Faria

      • inacioqueiroz disse:

        Aaahhh !! Desiste d’eu não, bebê !!
        Eu sou assim, mas sou amigo, sou limpinho, as vacinas estão em dia (quase todas rsrsrs).

        Depois posta qual trecho de S. Paulo vc está se referindo para gente meditar nelas juntos.
        Adoro S. Paulo (adoro mais vc !!! rsrsrs)
        Bjbj,
        Inacio

  4. Dani de Faria disse:

    COLEGAS LEITORES, MEU ANJINHO FOFO,
    Desculpe-me o comentário que a princípio faço neste espaço. Na verdade estou com vontade de fazê-lo há bastante tempo. Provavelmente receberei uma tonelada de críticas, mas como nunca me importei com críticas, lá vai… Na primeira página do blog há uma frase – bem bonitinha por sinal, que faz uma censura acerca das pessoas que usam como desculpa a falta de tempo. Todavia, fico pensando se alguém, em algum momento parou para analisar que essas pessoas simplesmente ainda não se deram conta da fugacidade do tempo neste planeta. E, não é com belas frases que vão “acordar para a vida”, mas com belos exemplos.”
    Volto aqui a citar Eclesiastes “Tudo tem seu tempo determinado e há tempo para todo propósito debaixo do Céu; há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de chorar e tempo de sorrir; tempo de amar e tempo de odiar( …).
    Meus queridos, quando o servidor está pronto o serviço aparece, querendo ou não. Não é Inácio?!
    Com relação ao texto postado acima. Ótima pesquisa. Muito bem escrito. Muito bem ilustrado. Gostei muito. Parabéns!
    O CAMINHO DO MEIO.
    Quando era só uma menina, um dia estava triste, porque na minha mente achava que não fazia nada para agradar à Jesus e (na minha ingenuidade) pensava de por isso ele não gostava de mim.
    Um grande amigo, então, cantou no violão uma música católica (não sei o autor, infelizmente) que dizia mais ou menos assim:
    “Gosto de você assim como você é
    Pode me amar assim como você quer
    Quero ter você e não quero saber
    Se assim não fosse como poderia ser
    De outro jeito abraço seus defeitos
    Gosto dos seus olhos, do jeito que olham
    Seja assim tão pura, minha alma é tua
    Me ame sempre igual em casa ou na rua.
    Deixe que os ventos penteiem seus cabelos
    Façam dos meus olhos sempre seu espelho
    Deixe que a noite traga uma canção
    “Deixe que eu te guarde no meu coração”.
    Jesus nos ama independente de qualquer coisa. Ama o que fazemos pelos nossos irmãos e o que fazemos por nós .
    AMOR….PALAVRA MÁGICA!!!
    Um abraço cheio de amor,
    Dani de Faria

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Dani lorinha!
      Lindo comentário. Adorei.

      Verdade, Deus nos ama como somos.
      Confia que caminharemos para nosso melhor.
      Assim como Jesus nos mostrou na Parábola dos Talentos ou na Parábola dos Trabalhadores da Última Hora.
      Não importa quando iremos começar a nos esforçar no trabalho, apenas não podemos deixar de multiplicar os talentos que nos foram confiados.

      O pensamento sobre o tempo, de autoria de Lao Tsé e colocado no topo, me remete a questão da importância.
      Dizer que não tem tempo é dizer que não é importante agora.
      Se a vontade de ir ao banheiro for grande, nosso mundo pára e corremos para o banheiro.
      É muito importante não sujar as calças.

      Adorei a música. Fui pesquisar.
      http://www.clickgratis.com.br/letras-de-musicas/joao-marcos-e-matheus/quero-ter-voce.html
      João Marcos e Matheus. Muito legal.

      Como nos dizem na Oração de Meio Dia, um ponto que todas as linhas de Psicologia concordam é que tudo começa por nos aceitar como somos.
      Passamos a perceber nossa realidade sem ilusões.
      Mas que essa aceitação não seja margem para nos acomodar.

      Adoro quando vc comenta.
      Muitos beijos ….
      Inacio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s