69-Esperança Sempre!

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 69-Espíritos transviados)
Reunião pública de 30-10-1961
CI – 1a Parte – Cap. VII – Item. 3 inciso 22.

69-caronte1Quando a gente pensa em regiões umbralinas e purgatoriais, duas coisas são recorrentes entre quase todos nós:

1-Pensamos que é local para muitas pessoas desequilibradas, menos para nós mesmos;

2-Lembramos logo das cenas dos filmes e novelas: farrapos humanos, sujos e ensandecidos, presos em longas repetições de comportamentos cotidianos que lhes eram marcantes; maltratados pelos outros mais embrutecidos; amedrontados; julgando a si mesmos vítimas e injustiçados por tudo e por todos.

Sonâmbulos das paixões em que se desregravam, são cativos dos seus próprios reflexos dominantes.” – diz Emmanuel.

E complementa: “Por mais se lhes atraia a atenção as Esferas sublimes, encasulam-se nos interesses inferiores, encarcerando na Terra as antenas da alma.

Ou seja, eles abandonaram a roupa física e estão diante das maravilhas dos Reinos Espirituais. Mas olham apenas para o que eram ou possuíam na Terra!

Será este meu caminho no além-túmulo?

Vejamos:

69-ViolenciaSe eu trancar meu coração no local onde guardo dólares, joias, ouro e títulos ao portador, posso terminar vendo o meu caixão como sendo o meu cofre, repleto de tesouros ilusórios.

Se eu tiranizo um grupo através das palavras, seja minha família, meus empregados ou uma multidão, posso terminar fazendo longos discursos e debates perante um morro de barro e entulhos, sentado na primeira cadeira da ilusória tribuna de honra.

Se eu uso da arte e da criatividade para semear inúmeras imagens viciosas, tudo em nome do amor, posso terminar num ilusório palco, gesticulando e escrevendo no ar as mesmas idéias doentias, sempre aclamado por centenas de fãs imaginários.

Se eu estendo egoísmo feroz para aprisionar consciências, posso retornar aos lugares onde reinei e me tornar obsessor dessas mesmas pessoas que se libertaram do meu guante.

Se eu objetivo sempre o culto da sensualidade, posso terminar agressivo e choroso na plateia do banquete das minhocas e vermes devorando meu corpo físico.

Se eu tenho prazer em companhias enfermiças ou em assuntos sombrios e doentios, posso terminar hipnotizado por inteligências trevosas que me usarão para seus delitos.

69-caminhosHá esperança para estas doenças da alma?
Sempre há!

Deus nos permite sempre que façamos nossas escolhas, é certo. Ele não escraviza ninguém.

Por isso, quase sempre, em sucessivas reencarnações, gastamos séculos no mal, a fim de entender o bem.” – observa Emmanuel.

Saber o que acontece no pós-morte com aqueles que daqui partiram em franco desequilíbrio é convite para que não venhamos a cometer o mesmo erro.

A hora de nos corrigir é agora, principalmente naquilo que costumamos criticar em outros.

Clareia-te por dentro.
Aprimora-te e serve.” – adverte-nos Emmanuel.

69-JesusEstudo e oração, caridade e autoavaliação.
Tudo buscando nos pacificar e harmonizar.

Enquanto no corpo físico, desfrutas o poder de controlar o pensamento, aparentando o que deves ser; no entanto, após a morte, eis que a vida é a verdade, mostrando-te como és.” (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Primeira Parte – Doutrina
CAPÍTULO VII – As Penas Futuras segundo o Espiritismo

Item 3 – Código Penal da Vida Futura

 O Espiritismo não vem, pois, com sua autoridade privada, formular um código de fantasia; a sua lei, no que respeita ao futuro da alma, deduzida das observações do fato, pode resumir-se nos seguintes pontos:

1º — A alma ou Espírito sofre na vida espiritual as consequências de todas as imperfeições que não conseguiu corrigir na vida corporal. O seu estado, feliz ou desgraçado, é inerente ao seu grau de pureza ou impureza.

22º — Conquanto infinita a diversidade de punições, algumas há inerentes à inferioridade dos Espíritos, e cujas conseqüências, salvo pormenores, são pouco mais ou menos idênticas.

A punição mais imediata, sobretudo entre os que se acham ligados à vida material em detrimento do progresso espiritual, faz-se sentir pela lentidão do desprendimento da alma; nas angústias que acompanham a morte e o despertar na outra vida, na conseqüente perturbação que pode dilatar-se por meses e anos.

Naqueles que, ao contrário, têm pura a consciência e na vida material já se acham identificados com a vida espiritual, o trespasse é rápido, sem abalos, quase nula a turbação de um pacífico despertar.

*** Curiosidades ***

– “Fora da caridade não há salvação” – quanto mais estudo, mais concordo com esta frase. Vejo inúmeras pessoas letradas, que não são pessoas ruins, mas que também não sabem ser pessoas boas, amigas, felizes, generosas, leves e em paz. Elas possuem o conhecimento sobre os temas, mas não sabem agir conforme o conhecimento na hora que as situações cotidianas surgem. A caridade possui esta faculdade mágica de trazer as questões difíceis para nossa vida antes que as mesmas ocorram conosco. E treinamos ser o que ainda não somos, apesar de já sabermos como deveria ser. (Ficou confuso? rsrsrs perdão!)

– Raul Teixeira, em palestra, comentou aquela nossa famosa expressão: “Por que eu? Por que aconteceu comigo?”. E ele replica: “E por que não eu? Por que não comigo?”. Em nada somos especiais para estarmos livres dos reveses da vida. Não é o “salvo conduto” de certos problemas que nos torna pessoas especiais, mas sim a dignidade com que atravessamos pelos problemas. E nosso irmão Raul têm nos dado um maravilhoso exemplo prático dessa lição. Parabéns, Raul! E muita força, irmão!

– Pequenas paixões e apegos transformam-se em grandes tormentos quando chegamos no plano espiritual. Imagina ter vontade de fumar, ter ânsia por comida, ter a volúpia do sexo, preocupar-se com uma casa ou ter saudades profundas da companheira do lar e não poder saciar nada disso! Por isso entendo que muitos precisam passar certo tempo na inconsciência ou em ambientes que possam drenar estas dores. Umbral ou purgatórios não são castigos, antes são os emplastros que irão drenar as toxinas de quem está sofrendo. Cuidemos para nos desintoxicar bem antes de chegar nossa hora!

– Fora do amor não há salvação? Desde que contemplemos nesse amor todos as outras consciências irmãs e que saiamos do mero “sentir” para o plano do “agir”, podemos afirmar que sim, que é mesma frase, tão correta quanto a outra. Mas os espíritos sempre nos alertam sobre nossas dificuldades com as palavras e seus significados. Nesse aspecto, sou da teoria de que a palavra “Caridade” fica bem melhor, bem mais esclarecedora para esta humanidade ainda em fase de “alfabetização espiritual”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s