01- José, filho de Davi

(Meditação sobre “O Evangelho por Emmanuel – Volume 1”)
Comentários ao Evangelho segundo Mateus

Após ter cogitado estas coisas, eis que em sonho
apareceu-lhe um anjo do Senhor, dizendo: José,
filho de Davi, não temas receber Maria […].”
Mateus 1:20

Meditação sobre: José da Galileia (ed. GEEM)

Já perceberam alguma vez como quase todos os homens do Evangelho passam para nós um ar de fragilidade e imaturidade? Vacilantes, assustados, acabamos por lembrar-lhes em seus erros.

Há um, porém, de grande nobreza, que nos passa desapercebido, pouco notado.

José da Galileia …
Quase não dispomos de elementos para nossa limitada avaliação.

Mas, nos desafia Emmanuel, já imaginaram o que seria do Cristianismo sem ele?

Um homem profundamente espiritual!!
Um homem a quem a Inteligência Divina confiou duas joias: Maria e Jesus!!
Um homem visitado por um anjo que não se vangloriou disso nos palanques do mundo!!

Um homem que vê seu filho encantar Doutores da Lei e o ensina a ser carpinteiro.
Um homem que seguia as leis de César, que se guardava entre a família, o templo religioso e o trabalho.

No pouco que o mundo sabe, um homem honrado!

Sem nada pedir para si, deu a Jesus tudo que podia.
Deu-lhe um lar.

Nas palavras de Emmanuel:
“A ele deve o cristianismo a porta da primeira hora, mas José passou no mundo dentro do divino silêncio de Deus.”

Meditação sobre a “O Evangelho por Emmanuel”
Texto referenciado “José da Galileia” (Ed GEEM)
Leia o texto original clicando aqui!

–o0o–

** Notas do autor do Blog **

** Começamos esse novo desafio com muita emoção, rogando ao alto que consigamos chegar até o final. Disciplina, disciplina, disciplina!

** Sempre me perguntei assim: se eu fosse José, teria acolhido Maria nessa maternidade?
Basta para mim apenas essa passagem para tê-lo como herói!!
Quantos homens mundo afora sabem que são pais e não dedicam nada a seus filhos!

** Não bastasse a dedicação da primeira hora da maternidade, Emmanuel nos lembra um José digno, dedicado, honrado, obediente às leis, sem as vaidades de ter um filho extraordinário! Afinal, José foi tudo que a maioria de nós, homens, muitas vezes não sabemos ser.