85-Limitações

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 85-Diante dos outros)
Reunião pública de 25-11-60
Questão LM no. 302.

Na trilha humana, é indispensável consideres os problemas dos outros.” — recomenda-nos Emmanuel.

O ônibus estava quase cheio.
Mas não o suficiente para aquelas crianças. Elas estavam fazendo uma senhora bagunça.

Corriam entre as pessoas, pisavam nos estofados, engatinhavam por baixo dos bancos, incomodavam literalmente.

E o pai estava lá, aparvalhado, olhando para o nada.

Era nítido que todos estavam ansiosos por alguma atitude dele.
E nada!

Quando o desespero cresceu no ônibus, um senhor distinto aproximou-se do pai e indagou:
— Seus filhos são muito irrequietos, não? Eles são sempre assim?
— Hã! Não eles são mais tranqüilos. — disse saindo do torpor. — Estão assim agora, talvez, porque acabamos de vir do hospital. A mãe deles faleceu …

Nessa meditação, Emmanuel nos exorta a considerar as limitações vividas por outras pessoas. Tendemos a tomar nossas facilidades e possibilidades como referencial para julgar todo o mundo.

Mas nossos irmãos, mesmo havendo desejo sincero de nos acompanhar, apresentam limites diferentes.

Pés falham no caminhar; ouvidos mostram-se surdos perante certos acordes.

Olhos não divisam certas formas e cores; estômagos solicitam leveza no trato.

Uns guardam membros atrofiados; outros não conseguem reter reminiscências.

Assim também, na caminhada espiritual, surpreenderás criaturas irmãs que não podem comungar-te, de pronto, a faixa de experiência.” — afirma Emmanuel.

Quantas vezes terminamos de discorrer sobre uma questão e percebemos no olhar de algum irmão a vontade sincera de poder fazer igual? Ou apenas entender?

Mas … , ele ainda não consegue!

Dessa forma, não podemos esperar que nossas explicações sejam sempre fator de nova convicção ou reajuste de ponto de vista de quem nos ouve.
Não sabemos o quanto fomos compreendidos ou se fomos sequer ouvidos.

Cada pessoa vê a paisagem da condição em que se coloca.” — assevera Emmanuel.

Que não sejamos o ponto de início de conflitos que semearão outros novos conflitos.

Que não sejamos porta-vozes da discórdia, impulso primeiro de inúmeras crueldades.

Sabemos que a Doutrina Espírita é a benção de Jesus, vinda para desmanchar as ilusões.

Porém, nossa caminhada será, antes de tudo, na direção do nosso aprendizado, do nosso trabalho, da nossa instrução e do nosso servir.

Só assim conseguiremos aliar verdade e amor.

Então, gradualmente, iluminaremos todo nosso mundo, desfazendo em nós e auxiliando a desfazer nos outros as nossas tantas ilusões.

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXVII
DAS CONTRADIÇÕES E DAS MISTIFICAÇÕES

Questão 302. A espera de que a unidade se faça, cada um julga ter consigo a verdade e sustenta que o verdadeiro é só o que ele sabe, ilusão que os Espíritos enganadores não se descuidam de entreter. Assim sendo, em que pode o homem imparcial e desinteressado basear-se, para formar juízo?

“Nenhuma nuvem obscurece a luz mais pura; o diamante sem mácula é o que tem mais valor; julgai, pois, os Espíritos pela pureza de seus ensinos. A unidade se fará do lado onde ao bem jamais se haja misturado o mal; desse lado é que os homens se ligarão, pela força mesma das coisas, porquanto considerarão que aí está a verdade.

Notai, ao demais, que os princípios fundamentais são por toda parte os mesmos e têm que vos unir numa idéia comum: o amor de Deus e a prática do bem. Qualquer que seja, conseguintemente, o modo de progressão que se imagine para as almas, o objetivo final é um só e um só o meio de alcançá-lo: fazer o bem. Ora, não há duas maneiras de fazê-lo. Se dissidências capitais se levantam, quanto ao principio mesmo da Doutrina, de uma regra certa dispondes para as apreciar, esta: a melhor doutrina é a que melhor satisfaz ao coração e à razão e a que mais elementos encerra para levar os homens ao bem. Essa, eu vo-lo afirmo, a que prevalecerá.” – O Espírito de Verdade.

NOTA. Das causas seguintes podem derivar as contradições que se notam nas comunicações espíritas: da ignorância de certos Espíritos; do embuste dos Espíritos inferiores que, por malícia ou maldade, dizem o contrário do que disse algures o Espírito cujo nome eles usurpam; da vontade do próprio Espírito, que fala segundo os tempos, os lugares e as pessoas, e que pode julgar conveniente não dizer tudo a toda gente; da insuficiência da linguagem humana, para exprimir as coisas do mundo incorpóreo; da insuficiência dos meios de comunicação, que nem sempre permitem ao Espírito expressar todo o seu pensamento; enfim, da interpretação que cada um pode dar a uma palavra ou a uma explicação, segundo suas idéias, seus preconceitos, ou o ponto de vista donde considere o assunto. Só o estudo, a observação, a experiência e a isenção de todo sentimento de amor-próprio podem ensinar a distinguir estes diversos matizes.

*** Curiosidades ***

-Tive contato inicialmente com a questão das “crianças no ônibus” em um texto sobre pontos de vista. O texto mostrava como mudávamos radicalmente nossa percepção de um problema com a mudança do contexto. E, de fato, depois de saber que a mãe das crianças acabara de falecer, quem mais se importava com a bagunça delas ou com a apatia do pai? Precisamos lembrar disso quando estivermos envolvidos no exercício da desculpa e, por conseguinte, do perdão, a terceira forma da caridade conforme entendida por Jesus,  assim descrito no Livro dos Espíritos, pergunta 886.

-Kardec nos deixa um excelente parâmetro para avaliar o ensinamento de um espírito: o bem. Precisa atender à razão, ao coração e reunir elementos para nos tornar seres melhores.

-O espírito Vianna de Carvalho, psicografia de Divaldo Franco, nos alerta que sempre estaremos inseridos entre 2 níveis evolutivos: de um lado, corações e mentes mais iluminados, que nos ensinam e nos amparam; do outro lado, corações e mentes que carecem do nosso ensinamento e do nosso amparo. Portanto, se somos chamados a ter paciência e carinho com limitações e atrofias de quem nos busca, lembremos SEMPRE que, para muitos seres angélicos, os limitados e atrofiados ainda somos nós.

Anúncios

4 respostas para 85-Limitações

  1. Aprecio muito o seu trabalho,recomendei á amigos da casa espírita em que frequento e confesso que com trabalhos como este são verdadeiros incetivadores ao estudo,desde que conheci esse trabalho não paro de ler esta obra de chico xavier,e por ter conhecido conhecido essa ferramenta interessante de estudo me veio uma súbita dúvida:quero saber se após o término deste trabalho você desenvolverá o estudo de outras obras como esta apresentada. Muito legal mesmo!!! fica aí o pedido e um abração amigo!!!!

    • inacioqueiroz disse:

      Olá Pablo,
      Muito obrigado pelo seu incentivo.
      Todo mérito [SEMPRE] para a dupla Chico Xavier / Emmanuel, verdadeiro celeiro das idéias luminosas que apenas comento.

      Este pequeno trabalho começou de forma muito estranha.
      Todo dia, ao meio-dia, eu fazia a leitura de uma página aqui no meu trabalho.
      Recebi de presente um livro chamado “Instruções Psicofônicas” e li textos que me deixavam AR-RE-BA-TA-DO.
      O entusiasmo era tanto que eu transcrevia o texto num e-mail e enviava aos amigos.

      Percebi então que, apesar de serem textos maravilhosos, eles estavam presos nas estantes e esquecidos por muitos.
      Nessa mesma época, uma amiga iniciou um blog pessoal.
      Então pensei: “Em vez de mandar via e-mail, por que não publicar num blog?”
      E assim comecei.

      Lá pelo sétimo texto, me deu um estalo: eu não pedi permissão para quem tem o direito autoral deste texto!
      Fiz contato com a FEB e eles, com muito direito, não autorizaram a publicação.
      Imagine se todos que gostarem de uma obra, façam isso? As obras sociais deles iriam falir.

      Nesse ponto o trabalho quase morreu. Publiquei mesmo um post de despedida.
      Foi então que minha querida Claudie me desafiou: Por que vc não publica as mesmas idéias com as suas palavras?
      Tremi na base … Será que consigo?

      Hoje, de todos os trabalhos que faço junto aos amigos espirituais, este é o que mais mexe comigo.
      Com certeza, não tenho ficado a altura da inteligência de Emmanuel. Ele é incomparável.
      Mas sei que meus textos atualizam a idéia dele com palavras, imagens e analogias de nossa época, 50 anos depois.
      E, importante: libertam as idéias das prateleiras!

      Tenho a inteção de continuar sim. Esta obra é da série da FEB “Estudando a Codificação”.
      O próximo que pretendo trabalhar é o “Justiça Divina” que medita sobre a obra “O Céu e o Inferno”.
      Devo fazer uma publicação de agradecimento e seguir adiante na semana seguinte.

      Muito obrigado por seu comentário. Ele me ajudou muito para organizar minhas idéias.
      E se vc sente que é capaz de fazer algo similar, faça!
      Liberte as idéias dos irmão superiores que estão presas nas prateleiras.
      É o maior agradecimento que podemos fazer para eles.

      “O mundo precisa de histórias felizes!” – diz no filme Nosso Lar.

      Um abração,
      Inacio

  2. Ricardo Salles disse:

    Muito bom este capítulo. Cada um tem a “sua realidade”, que é na maioria das vezes é diferente da nossa. Saibamos, portanto, respeitar todas elas!
    abs.
    Ricardo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s