89-Luz Interior

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 89-Reforma Íntima)
Reunião pública de 9-12-60
Questão LM no. 350.

Quando a espiritualidade sublime te clareou por dentro, passaste a mentalizar perfeição nas atitudes alheias. Entretanto, buscando, aqui e ali, padrões ideais de comportamento, nada mais recolheste que necessidades e negações.

Assim inicia Emmanuel a meditação sobre o difícil tema da nossa reforma interior, a famosaReforma Íntima“.

Muitas vezes já ouvi a frase: é preciso abandonar o homem velho e revestir-se do homem novo.

Sei que é preciso.
Mas … como fazer isso? Como abrir mão do que sou para abraçar algo novo e melhor?

Se algo aprendi, posso colocar no topo da lista que não basta estalar os dedos para sermos alguém novo. Também não basta ler um livro, não basta ter entrado para aquele trabalho de caridade, nem ter sido abençoado por alguma sumidade religiosa.
Não!

É trabalho para toda uma vida. Ou várias …

Teremos de ler muitos livros, entrar em muitos trabalhos de caridade, merecer as bênçãos de muitas sumidades, repensar nossas atitudes milhares de vezes até que comecemos a perceber que mudamos.

Persiste no bem e aguarda que esta luz te invada profundamente!recomenda-nos Divaldo Franco.

Nesse esforço, um erro muito comum que todos cometemos é julgar que estamos em uma fila evolutiva: os mais adiantados estão lá na frente em todos os aspectos e os mais atrasados estão lá atras, com tudo por aprender.

Ledo engano, irmãos!
São frentes de trabalho distintas, onde eu posso estar em excelente situação num aspecto e estar em grande débito num outro aspecto.

Por isso que, ao classificar os Bons Espíritos no Livro dos Espíritos, Kardec criou 3 classes distintas: Espíritos Benévolos, Espíritos Sábios e Espíritos de Sabedoria.

Assim, por exemplo, podemos estar adiantados em nossa bondade, mas ainda dispor de grandes carências morais e/ou intelectuais. Ou guardar conhecimento ímpar, mas ter grandes dificuldades emocionais e/ou morais.

Enquanto nós não compreendermos esta verdade, vivenciaremos GRANDES decepções.

— Poxa!, Fulano é uma pessoa tão boa, como pôde ter agido daquele jeito?
— Sicrano é tão inteligente! Mesmo certo, ele não vê que magoou todo mundo?

— Beltrana estuda conosco, faz caridade, como pôde ter se envolvido nesse escândalo?

O desânimo dos que pareciam mais corajosos; os desmandos dos que pareciam mais abençoados; as dúvidas dos que pareciam se guardar em tamanha fé; a deserção de quem parecia transpirar fidelidade e ternura.

Tais decepções são mais frutos da nossa ilusória confiança na angelitude alheia do que fruto da dificuldade de quem nos decepcionou. Afinal, se eles já fossem “anjos“, não estariam inscritos na mesma escola que nós estamos.

Dai e dar-se-vos-á” — assim disse Jesus.
Se aspiras a receber a simpatia e a abnegação do próximo, começa distribuindo simpatia e abnegação.” — acrescenta Emmanuel.

Isso porque só possuímos de fato aquilo que damos.
Tudo pertence ao mundo. Percebemos isso na hora da morte.
Porém, a ação de dar, de doar-se, pertence profundamente ao doador.

Se desejamos possuir evolução e angelitude, precisamos dar ao mundo, ainda hoje, toda evolução e angelitude que somos capazes, conforme a Doutrina Espírita e os Espíritos Superiores nos esclarecem.

Sabemos que é difícil , principalmente quando carregamos o coração ulcerado por decepções e descréditos de nós mesmos.

Façamos, porém, suficiente luz no próprio íntimo, e a noite, por mais espessa, será sempre sombra a fugir de nós.” (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXIX
DAS REUNIÕES E DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS

 

Questão 350. Se o Espiritismo, conforme foi anunciado, tem que determinar a transformação da Humanidade, claro é que esse efeito ele só poderá produzir melhorando as massas, o que se verificará gradualmente, pouco a pouco, em conseqüência do aperfeiçoamento dos indivíduos. Que importa crer na existência dos Espíritos, se essa crença não faz que aquele que a tem se torne melhor, mais benigno e indulgente para com os seus semelhantes, mais humilde e paciente na adversidade?

De que serve ao avarento ser espírita, se continua avarento; ao orgulhoso, se se conserva cheio de si; ao invejoso, se permanece dominado pela inveja? Assim, poderiam todos os homens acreditar nas manifestações dos Espíritos e a Humanidade ficar estacionária. Tais, porém, não são os desígnios de Deus. Para o objetivo providencial, portanto, é que devem tender todas as Sociedades espíritas sérias, grupando todos os que se achem animados dos mesmos sentimentos. Então, haverá união entre elas, simpatia, fraternidade, em vez de vão e pueril antagonismo, nascido do amor-próprio, mais de palavras do que de fatos; então, elas serão fortes e poderosas, porque assentarão em inabalável alicerce: o bem para todos; então, serão respeitadas e imporão silêncio à zombaria tola, porque falarão em nome da moral evangélica, que todos respeitam.

Essa a estrada pela qual temos procurado com esforço fazer que o Espiritismo enverede. A bandeira que desfraldamos bem alto é a do Espiritismo cristão e humanitário, em torno da qual já temos a ventura de ver, em todas as partes do globo, congregados tantos homens, por compreenderem que ai é que está a âncora de salvação, a salvaguarda da ordem pública, o sinal de uma era nova para a Humanidade.

Convidamos, pois, todas as Sociedades espíritas a colaborar nessa grande obra.

Que de um extremo ao outro do mundo elas se estendam fraternalmente as mãos e eis que terão colhido o mal em inextricáveis malhas.

*** Curiosidades ***

-As dissensões entre as diversas Sociedades Espíritas são famosas. Mesmo entre aqueles que defendem a pureza da Doutrina Espírita, encontramos discordâncias entre renovar ou conservar, entre Caridade ou Estudo, entre obras básicas ou novas leituras. Kardec anteviu esta dificuldade e deixou inúmeros textos procurando avisar da importância da união entre os grupos. A religião de Deus nunca irá dividir Seus filhos, mas sempre buscará reuni-los. Se esta não reúne, não provém de Deus.

-Não tem como falar de Reforma Íntima sem falar das questões 919 e 919-a de O Livro dos Espíritos. Santo Agostinho dá uma grande aula de como proceder para avançar no famoso  “Conhece-te a ti mesmo“.
Pode conferir em http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=297

-Incomum, porém viável, é vermos grandes expoentes espíritas embaraçados com suas dificuldades evolutivas. Digo viável porque eles mesmos mostram evidências de que estão atravessando heroicamente suas agruras cármicas. Chico Xavier sangrava pelos olhos. Divaldo Franco padeceu com angina e com certos obsessores. Raul Teixeira está se recuperando de um AVC. Isso nos mostra o quanto o texto de Emmanuel está correto quando afirma que, na escola da Terra, não são os “anjos” que estão matriculados. Como Jesus afirma no conhecido “Óbulo da Viúva”, mérito maior encontramos na nossa doação quando cercados pela carência e pela dificuldade. Portanto, nosso reconhecimento sincero a estes nossos queridos heróis da fé e da caridade! Que um dia possamos contar entre eles!

Anúncios

2 respostas para 89-Luz Interior

  1. Adão de Araujo disse:

    Alô amigo Inácio. O estudo por você postado está, como sempre, excelente em todos os aspectos. Conduz a importantes reflexões. Muito úteis para este seu amigo.
    No que concerne as dores de Espíritos como Chico Xavier, Divaldo Franco ou Raul Teixeira, embora não sejam “anjos, creio que certas agruras não sejam necessariamente cármicas mas, talvez, pontos de advertência para manutenção de um programa pré estabelecido. Muitas facilidades …
    Um grande abraço, amigo.

    • inacioqueiroz disse:

      Concordo contigo.
      Realmente, Chico Xavier sempre foi muito grato às dificuldades que, dizia ele, o mantinha nos trilhos.
      Nada posso afirmar sobre o AVC do Raul.
      Mas sobre os olhos do Chico, ele se recusou a operar com Fritz alegando que era cármico e que se fosse operado, não saberia de que forma aquele compromisso poderia retornar.
      Sobre a angina do Divaldo, ele contou em palestra sobre o tratamento de auto perdão em frente do espelho que Joanna prescreveu. Julguei que isso configura um retorno carmico.
      Só por isso citei estes fatos.

      Mas concordo com suas palavras sim.
      Muitos solicitam as situações difíceis para que as facilidades não se tornem pesos sobre seus compromissos.
      Obrigado, amigão.
      Inacio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s