15-Atitudes

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o Capítulo 15-Três Atitudes)
Reunião pública de 22-2-60.
Questão no. 226 inciso 11

Era quarta-feira em nosso grupo.
As orações e o fervor eram nítidos
no olhar de todos.

De súbito, nosso irmão Patrício colocou-se de pé e verbalizou nota contundente sobre o estudo da noite, nos exortando ao trabalho abençoado junto aos amigos espirituais.

A sessão transcorreu com inúmeros comentários valorosos e encerrou com sentida oração. Após despedidas calorosas, cada qual seguiu seu destino rumo ao lar.

Em nossa condição de espíritos aprendizes, passamos a seguir 3 irmãos encarnados que caminhavam juntos e entabulavam interessante conversação.

 — Nem vejo a hora de efetivamente começar a trabalhar — disse Aldo. Às vezes, acho os treinamentos longos e cansativos. Já me sinto preparado. Será que ficaremos nessa instrução ainda por muito tempo?

— Soube que estão chamando trabalhadores para o serviço da livraria — observou Berta. E tem ainda um novo grupo de evangelização em formação. Lá tem bastante trabalho!

—Evangelização? Para o Aldo? Não dá — disse Ciro. Tem que saber lidar com crianças. Eu já fiz curso disso na Federação, já fiz treinamento de pedagogia, fui até convidado para este grupo. Acho que não vou aceitar o convite, mas tenho pra mim que eles irão ficar bem perdidos se eu não for.

—Livraria eu não quero! — asseverou Aldo. Precisa dedicar muito tempo, lidar com dinheiro, seguir as regras do livreiro e ainda pegar peso.  Fora que não vai trabalhar minha mediunidade. É perda de tempo.

—Amigos! — lembrou Berta. Trabalho é trabalho! É sempre importante e digno.
—Mas prefiro o trabalho que use melhor minhas qualificações — disse Ciro.
—E que não atrapalhe minha vida pessoal — completou Aldo.

o0o

Nesse capítulo, Emmanuel nos coloca diante de 3 atitudes muito comuns em nossa dinâmica social: a do egoísta, a do orgulhoso e a do bem feitor.

Kardec deixa claro que o contato mediúnico mais limpo se verificará quando buscarmos o bem e coibirmos nosso egoísmo e nosso orgulho. Mas como reconhecer estas atitudes em nossos maneirismos diários?

Vejamos alguns exemplos:

 1. No meio social, o egoísta tende a fazer suas regras. O orgulhoso desdenha do que já foi construído ou definido. O bem realiza o quanto pode, respeitando o passado e trabalhando além de sua obrigação.

2. No trabalho em equipe, o egoísta explora e tira a sua parte. O orgulhoso oprime e pensa apenas em seu sucesso. O bem produz incessantemente, buscando servir a todos.

3. Na fé egoísta, há muita aparência para que nada mais seja dever seu e só haja direitos. Na fé orgulhosa, há muita reclamação por todo direito que julga-se ter e ainda não recebeu. Na fé do bem feitor, há apenas amparo.

4. No estudo, o egoísta finge já saber, o orgulhoso acha que não precisa saber mais e o bem repete pacientemente cada lição, buscando entender mais para realizar melhor.

 Orgulho e egoísmo: corredores sombrios
que nos inclinam  ao vício e à delinqüência,
caminhando para a obsessão
.

Na mediunidade, “só o bem é capaz de filtrar com lealdade a Inspiração Divina, mas, para isso, é indispensável não apenas admirá-lo e divulgá-lo; acima de tudo, é preciso querê-lo e praticá-lo com todas as forças do coração”.
(Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XX
DA INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM
Questões diversas – Dissertação de um Espírito sobre a influência moral

Questão 226. 11ª Quais as condições necessárias para que a palavra dos Espíritos superiores nos chegue isenta de qualquer alteração?
“Querer o bem; repulsar o egoísmo e o orgulho. Ambas essas coisas são necessárias.”
12ª Uma vez que a palavra dos Espíritos superiores não nos chega pura, senão em condições difíceis de se encontrarem preenchidas, esse fato não constitui um obstáculo à propagação da verdade?
“Não, porque a luz sempre chega ao que a deseja receber. Todo aquele que queira esclarecer-se deve fugir às trevas e as trevas se encontram na impureza do coração.
“Os Espíritos, que considerais como personificações do bem, não atendem de boavontade ao apelo dos que trazem o coração manchado pelo orgulho, pela cupidez e pela falta de caridade. “Expurguem-se, pois, os que desejam esclarecer-se, de toda a vaidade humana e humilhem a sua inteligência ante o infinito poder do Criador. Esta a melhor prova que poderão dar da sinceridade do desejo que os anima. É uma condição a que todos podem satisfazer.”

*** Curiosidades ***

– Apesar de buscarmos em nossa casa de oração um comportamento exemplar perante os irmãos, não há como ‘repulsar o egoísmo e o orgulho’ apenas durante as sessões. Precisa ser um trabalho de todas as horas. Lembremos que a verdadeira caridade está na benevolência, na indulgência e no perdão. A prática da verdadeira caridade nos apoiará nesse grande objetivo.

– Quando questionou aos espíritos qual o pior de todos os sentimentos, Kardec recebeu por resposta o egoísmo.  Sabemos porém que é no egoísmo onde está o início do amor universal. No início, eu só conseguirei amar a mim mesmo. Logo, considerando que todos nós iniciamos nossa caminhada sem saber amar, o problema não é se perceber egoista. O problema é permanecer egoísta mesmo depois de percebido nosso comportamento egoísta.

– Orgulho e egoísmo nos lembram a questão do mal hálito: até que finalmente a gente perceba (ou que alguém nos avise), muita gente já torceu o nariz com a nossa presença. Pior é quando somos avisados e não damos a mínima para o aviso. E completamos nossa tragédia brigando com que nos avisou. Imagina quanta paciência têm os nossos protetores para conosco!!!

 

Anúncios

4 respostas para 15-Atitudes

  1. roseli disse:

    É impressionante como a gente não se conhece. Estamos sempre em aprendizado constante. Na verdade deixamos pra depois tudo aquilo que aborrrece porque julgamos desnecessário resolver o que incomoda e sim viver o que está bom.Muito bom.Vou rever minhas atitudes.Bjs.

    • inacioqueiroz disse:

      Não nos conhecemos mesmo. Este é um grande desafio para evoluir.
      A pergunta 919 do Livro dos Espíritos fala disso. Como evoluir? Conhece a ti mesmo.
      E como fazer isso? Santo Agostinho fala em como ele fez quando era vivo.
      Valeu … bom trabalho.

  2. Claudie (Di) disse:

    Nós sabemos que estamos aqui em exercício, mas, tal qual numa escola, sabemos que os professores se cansam de ensinar sempre a mesma matéria àqueles alunos que não se esforçam por aprender. Em nosso cotidiano, nos esquecemos disso, sabemos que temos aqueles defeitinhos – que todo mundo tem, mas, afinal, que mal há nisso? – e não nos esforçamos por livrarmos deles. São companheiros de muito tempo, fica difícil largá-los assim no caminho, e vamos vivendo, caminhando como cegos, mas JÁ podemos ver…”quanto maior o conhecimento, maior a responsabilidade”… Todos nós já nos vimos em situações semelhantes, e de um modo ou de outro, já respondemos levados pelo orgulho e pelo egoísmo. Ainda o fazemos. Aprender que os bons espíritos vivem à volta daquele que faz o bem naturalmente, e que é nosso maior “amuleto” contra as obsessões e companheiros espirituais que só querem nos puxar pra trás, é uma lição que temos que “sentir”, e não apenas saber….
    Bjos prá todos.

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Mozinho. De fato, a Terra é uma escola de recondicionamento de hábitos. Alguns abandonados por conscientização. Outros porque nos levaram para o fundo do poço. O que não se aprende pelo amor… E o cotidiano realmente é craque em nos dizer que “está tudo bem: Tem dinheiro no bolso, saúde, tempo, gente interessada. Pra que se preocupar?”. Tem gente até que se orgulha de “ser de Lua”, de “não levar desaforo para casa” ou de levar sempre a melhor. Depois que a gente aprende que está errado, a gente primeiro faz de conta que não tem nada a resolver. Depois começa a incomodar aquele defeito, até que vira uma briga interior (ou então largamos o centro e voltamos a enfiar o pé na jaca. Deixamos para o próximo encarne). Só que o caso do médium é especial. Ele não consegue mais largar o centro sem ônus. Ou ele melhora ou ele melhora. E só vai encontrar comunicação limpa com o alto após efetuar esta melhora. E, como vc disse, não basta saber. Precisa sentir.
      Muitos beijos, lindo buguzinho, florida pupilenta do Senhor Reitor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s