20-Quantos Enganos…

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 20-Eles Também)
Reunião pública de 11-3-60
Questão nº 217.

 A tradição religiosa nos levou a idealizar os anjos quais seres alados, envergando armaduras e traços barrocos.

Aos santos, toda uma luminescência e perfeição das quais não somos capazes de dispor.

 E aos médiuns? Seres à parte de nossa sociedade, onde o sobrenatural é constante e onde os favores dos Espíritos constituem apoio perene, livrando-os de todos os escolhos!

 Quantos enganos …

Emmanuel, neste capítulo, lembra das dificuldades do caminho comum a todos os irmãos, médiuns ou não. 

E, para aqueles que abraçaram verdadeiramente sua renovação através da mediunidade, levantemos uma sincera oração.

Se temos que fazer pão a cada dia e reger as obrigações do mundo , certamente eles assim também terão.

Se lutamos contra o relógio para fazer todo o necessário, contemporizando promessas,  agendas e expectativas da parentela, esta luta também é deles.

Se preferíamos ter todas as contas pagas sem esforço, mas a vida nos nega a facilidade e nos convida ao trabalho justo e edificante, assim se dá com eles também.

O exemplo que devemos para aqueles do nosso convívio, exemplo que dá lastro às nossas orientações e ensinamentos, para eles também é cobrado.

A dor que sentimos quando humilhados, quando desafortunados pelas contingências da vida, quando irmãos em desequilíbrio nos depreciam e zombam; a mesma dor que eles sentem.

O pouco tempo livre que dedicamos ao altar do ideal, lamentando tão poucas horas perante tantas requisições transitórias terrenas; é o lamento deles também.

O corpo adoecido que requer cuidados, alimentação e higiene específica, os remédios caros e, por vezes, indispensáveis, são necessidades deles também.

Quando recebemos o perdão carinhoso por aquela falta inevitável e nosso coração se rejubila pela compreensão alheia de pequenos delitos, assim também vibra o coração deles.

Na paz dos templos do amor fraternal, estendamos a mão para o companheiro da mediunidade.
Nem anjos, nem santos, nem seres especiais.

Guardam os mesmos desafios de fé, nos quais nossa alma desenterra a sombra profunda daquilo que fomos, em inúmeras encarnações, e que hoje renovamos em nome Jesus.

Apenas seres humanos, em conflito consigo mesmos.

Também lutam.
  Também choram.
  Também erram.
  Também sofrem”. – diz Emmanuel.

Precisam menos de honras e elogios do que de apoio e compreensão, assim como todos nós, acrisolados na carne ou não, todos palmilhando as trilhas da Terra, ansiosos por finalmente nos iluminar por completo perante a Grande Luz.

Auxiliemo-los, assim, na execução dos próprios deveres, dentro dos moldes da disciplina e da ordem, do trabalho correto e do respeito à consciência tranqüila, que desejamos para nós mesmos, porque o fruto perfeito não é obra sublime apenas da vigilância e da obediência da árvore, mas também do carinho e da paciência que brilham nas mãos do cultivador”. (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)

CAPÍTULO XVII

DA FORMAÇÃO DOS MÉDIUNS

Questão 217. Uma vez desenvolvida a faculdade, é essencial que o médium não abuse dela. O contentamento que daí advém a alguns principiantes lhes provoca um entusiasmo, que muito importa moderar. Devem lembrar-se de que ela lhes foi dada para o bem e não para satisfação de vã curiosidade. Convém, portanto, que só se utilizem dela nas ocasiões oportunas e não a todo momento. Não lhes estando os Espíritos ao dispor a toda hora, correm o risco de ser enganados por mistificadores. Bom é que, para evitarem esse mal, adotem o sistema de só trabalhar em dias e horas determinados, porque assim se entregarão ao trabalho em condições de maior recolhimento e os Espíritos que os queiram auxiliar, estando prevenidos, se disporão melhor a prestar esse auxílio.

*** Curiosidades ***

– Interessante observar como a recomendação da questão 217 é atual, mesmo tendo sido publicada em 1861. Passagens assim nos levam a compreender que, apesar de já dispormos de conhecimentos novos em diversos temas, não podemos dispensar o estudo da codificação para entendermos de fato a mediunidade, assim como não podemos dispensar o Evangelho para aprendermos de fato a amar.

– Médiuns populares sofrem intensamente com a censura de quem os cerca, pessoas que buscam neles os superhumanos que elas mesmas não conseguem ser.
Raul Teixeira comentou de forma humorada um momento em que estava na praia, em trajes de banho, e foi repreendido por um popular:
-Você, Raul, vestido assim com as pernas de fora? – disse a pessoa.
-Meu filho, se você não percebeu, eu estou de calção porque estamos numa praia!
Nossa oração, pedindo ao Pai por estes heróis (conhecidos e anônimos), que se entregam ao trabalho do bem de corpo e alma, não medindo sacrifícios e renúncias.

-Por que anjos teriam asas? Provavelmente porque foram espíritos vistos em vôo pela mediunidade de pessoas da era antiga (??). Como voar sem asas?
E a auréola na cabeça dos anjos e santos? Talvez a luz que acompanha a evolução espiritual e que muitos sensitivos acusam ver (??).
E a armadura dos anjos? Talvez por serem inatingíveis a flechas e pedras (??).
Aceito sugestões.

Anúncios

8 respostas para 20-Quantos Enganos…

  1. Marta Valéria disse:

    Queridos amigos,
    Gosto “deste espaço” para falar algumas coisas …………………
    Quando a Clô fala do “olhar do outro” para o médium (ET minha casa ….rsrsrsrs)
    eu penso no “olhar do médium para com ele mesmo”. É impressionante, mas muitos médiuns se acham um ET realmente ou algo extraordinário. O grande lance da vigilância para com a mediunidade é quando o “outro” acha você extraordinário e você também se acha. Como já diz a galera, é o famoso “SISSI” – si sintindo …..
    Aí “danoce” …nem as asas e nem as auréolas dão jeito …..rsrsrs! É muito dragão…rsrs!

    Inácio ,reportei as suas palavras do outro blog pra cá:

    “Nessas horas que eu lamento nunca ter participado de um estudo forte sobre a codificação. Reparou como este pensamento é atual?”

    Sim o pensamento é atual, por que nós somos antigos …..rsrsrsrsrsrs!
    Nós sabemos ler o pensamento com os olhos do ontem na vida de hoje. É a bagagem do espírito. Nada se perde ….

    E outra coisa, não se cobre tanto. A codificação é parte de nossa consciência adormecida, tenha certeza. Estamos “acordando” na hora certa
    Abração em bugu e bidu

  2. Claudie (Di) disse:

    Amei a foto de São Miguel neste texto! Me remete à eterna luta do bem e do mal, que travamos diáriamente dentro de nossos corações, e que só nós sabemos o quanto difícil é, e muitas vezes escondemos o “dragão” até de nós mesmos… Big SmacK!

  3. Claudie (Di) disse:

    Amor, quando terminei de ler o texto, pensei que as pessoas que não se envolvem diretamente, com a mediunidade, costumam olhar os médiuns (que têm um envolvimento mais direto) de muitas maneiras (desconfiança, ceticismo, medo, exaltação, salvação, etc…), mas raramente olham o médium como ser humano que é, com seus defeitos, suas incertezas, seus anseios e sua vida, como qualquer um, com todos as satisfações e sacrifícios que passamos no dia-a-dia. Essas pessoas, que assim o fazem, desconhecem que o médium não é o espírito que “acertou um número na loteria divina” e ganhou um poder fantástico! É, na maior parte das vezes, aquele espírito mais endividado, que pela graça divina recebeu um instrumento que lhe permite, se bem orientado no BEM, ajudar os outros e, consequentemente, diminuir um pouco o próprio “saldo negativo”, através do amor.Ser médium não é ser Especial ou Genial, mas é ter a necessidade de aprender a paciência, a boa-vontade e a disciplina, no aprendizado do amor ao próximo (encarnado e desencarnado).
    Uma grande bjoca cheia de luz e amor prá vc, Mon Bidu!

    • inacioqueiroz disse:

      É verdade, mozinho.
      As pessoas tendem a idealizar o médium.
      A gente vê muito isso lá no CEU.
      Mas acho que, em parte, este efeito ocorre com qualquer pessoa que tenha um dom em exposição pública.
      A gente não pensa nos problemas humanos de Pelé, Roberto Carlos, Dalai Lama ou Xuxa.
      Se somado a isso pensarmos que existe todo um lado místico na mediunidade, aí que o médium vira um ET mesmo.
      (rsrsrs Inacio – hoooome !!!)
      Adorei seu comentário, lindo buguzinho flor sempre viva lá da varanda.
      Bjs …
      Bjs …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s