25-Diligente

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 25-Imperfeições)
Reunião pública de 28-3-60
Questão LM nº 226 inciso 9.

Ante o serviço a fazer, evitemos a escuridão das horas frustradas” – recomenda Emmanuel.

Neste capítulo, veremos, juntos com Emmanuel, que esta mesma boa disposição que temos para pedir precisa ser diligente para realizar.

E, se nos julgamos imperfeitos para o trabalho, será justamente no trabalho onde encontraremos a correção para nossas imperfeições.

Quem já não iniciou uma atividade sem saber fazê-la e aprendeu as técnicas, desenvolveu habilidades e consolidou a própria confiança, apenas por levar a mesma até a conclusão?

Quem já não se julgou impuro para certa obra e percebeu, na insistência do servir, que, apesar dos defeitos, conseguia bons resultados e mesmo certa renovação pessoal?

O devedor que prefere não se irmanar aos necessitados, perde sua grande chance de quitar débitos.

O entediado que renuncia aos trabalhos edificantes, renuncia à sua melhor oportunidade de alegria e paz.

Haja o que houver, não te proclames inútil” – afirma Emmanuel.

Estamos na Terra justamente porque asilamos imperfeições.
E o trabalho a fazer será sempre nosso grande provedor de ensinamentos, nossa escola de aprimoramento da consciência.

A Lei Divina está sempre corrigindo e purificando, filtrando e renovando.

A água encontra renovação na evaporação e na travessia do leito de pedras.
A folha ressecada cede lugar ao novo broto viçoso.
O ninho quebrado pelo vento será consertado ou substituído.
A mata se renova pelas chamas, preparando o solo para nova germinação.

Se Vossa Sagrada Lei a tudo renova e reabilita, nossa renovação encontra-se também disponível, na nossa possibilidade de auxiliar.

Nosso remédio permanece dia e noite em nossas mãos.
Basta movê-las para o bem daquele que cruza nosso caminho.
Remédio para nossos desastres é apoiar quem é vitima de desastres.

Remédio para nossa amargura é reconfortar os amargurados.
Remédio para nossos erros é tentar fazer o certo.
Remédio para nossa ignorância é o esforço no trabalho do bem.

Deus sabe que todos nós, encarnados e desencarnados em serviço na Terra, somos ainda espíritos imperfeitos, mas concedeu-nos o trabalho do bem, que podemos desenvolver e sublimar, segundo a nossa vontade, para que a nossa vida se aperfeiçoe”. (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XX
DA INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM
Questões diversas. – Dissertação de um Espírito sobre a influência moral.

226. 9ª Qual o médium que se poderia qualificar de perfeito?

“Perfeito, ah! bem sabes que a perfeição não existe na Terra, sem o que não estaríeis nela. Dize, portanto, bom médium e já é muito, por isso que eles são raros. Médium perfeito seria aquele contra o qual os maus Espíritos jamais ousassem, uma tentativa de enganá-lo. O melhor é aquele que, simpatizando somente com os bons Espíritos, tem sido o menos  enganado.”

*** Curiosidades ***

– Um erro comum dos trabalhadores do bem, ao passar por momentos difíceis, é suspender o trabalho enquanto a dificuldade não passa. Vamos buscar exemplos:

* No ápice da angina, Divaldo Franco encontra-se deitado, sentindo muitas dores, quando Joanna de Ângelis, sua mentora, lhe aparece.
Pergunta-lhe: Por que estais deitado? Não vais trabalhar?
Divaldo responde: O médico pediu repouso absoluto porque meu coração está quase morto. E Joanna exclama: Eu estou 100% morta e vou trabalhar.
Divaldo se levanta, pede ajuda a um filho, corre para o trabalho capengando e, ao final, é ajudado em sua dor pela espiritualidade.

* Chico Xavier encontra-se em momento de grande tormento. Como Freud acabara de introduzir o uso de alucinógenos na psicoterapia, Chico pede à Emmanuel que lhe dê algo similar para  sua dor. Emmanuel consente e prepara uma beberagem que irá lhe dar um efeito similar às químicas usadas.
À noite, Chico bebe o composto e descobre uma cena dantesca: escuridão, uivos, gritos, muito desespero e dor.
Chico questiona: O que é isso? Emmanuel responde: Isso é o seu mundo interior.
Que fazer, então? – pergunta Chico. Emmanuel recomenda: “Por uma semana, vamos dobrar a carga de trabalho e você deverá dobrar o seu silêncio”. E assim foi feito.
Uma semana depois, a experiência da beberagem foi refeita e Chico pôde ver lindo arco-íris, pássaros, um lindo riacho, muita luz e paz.

– Uma expressão comum: “Quando o discípulo está pronto, o trabalho aparece”.
Nos diz Raul Teixeira que, na verdade, quando o discípulo está pronto, quando sua consciência se dilata, seja no plano da razão, da emoção ou da moral, ele passa a enxergar o trabalho a ser feito. Trabalho esse que não aparece magicamente, mas que sempre esteve perto dele. O discípulo simplesmente não conseguia vê-lo por ainda “não estar pronto”.

2 respostas para 25-Diligente

  1. Inacio disse:

    Isso foi muito legal, buguzinho.
    E é verdade.
    A vida devolve com amor toda semente de amor que entregamos para ela.
    Mesmo quando não estamos com a melhor disposição do mundo.
    Um beijão.

  2. Claudie (Di) disse:

    “Se Vossa Sagrada Lei a tudo renova e reabilita, nossa renovação encontra-se também disponível, na nossa possibilidade de auxiliar.”…”Remédio para nossa amargura é reconfortar os amargurados.”…
    Ou seja, temos tudo que precisamos em nós mesmos – bem verdade, é que nem sempre estamos em equilíbrio para perceber isso… Mas uma das boas coisas que aprensi no trabalho do CVV, é que quando conseguimos tirar o foco de nossa dor – ainda que por pouco tempo – para “pensar” a dor do outro, nosso fardo fica mais leve. Pelo menos, se somos momentaneamente impotentes para resolver os próprios problemas, conseguimos fazer algo no sentido de levar alívio e alternativas a quem tb sofre… E isso nos ensina que não precisamos ser especialmente “bons” ou “capazes” para o trabalho; todo trabalhador de boa -vontade é aproveitado, basta querer jogar sua sementinha, e logo ela nasce… e muitas vezes, nós somos os maiores abençoados com os frutos de nossos pequenos gestos.
    Hoje, quando estou sofrendo, sinto muitas “vozes” me dizendo: vá trabalhar… muitas vzs vou, meio desanimada, mas sinto que mesmo que eu não me sinta assim tão bem, há muito que à outros aproveite… Bjos, Bidu…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s