30-Por Que Fazes Isso Assim?

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 30- Essas Outras Mediunidades)
Reunião pública de 29-4-60
Questão LM nº 185.

Alguma vez já argumentaram contigo:
“Você vai tanto ao Centro Espírita!!
Por que ainda faz isso assim, assim… ??” ?

Por estarmos buscando nossa melhoria, somos cobrados apresentar uma “angelitude” que nem nós, nem nossos cobradores ainda dispomos.

Mas não podemos negar que eles estão certos em um ponto:
Não podemos expandir a mediunidade e despreocupar-nos dos valores necessários à convivência terrena!

Como aquele Palestrante que conhece lindos casos, noções de moral irrepreensíveis, cultura evangélica ou científica admirável.
Sua palavra brilha no púlpito, mas desconhece as palavras de tolerância, de carinho e de indulgência no recesso do lar.

Como aquele Doutrinador que bem sabe encaminhar espíritos atormentados e viciados, levando para nossos irmãos adoentados da sombra as orientações da Esfera Superior.
Sua habilidade é admirável, mas desconhece  a conversa amiga e paciente junto aos perturbados, ignorantes e carentes da própria parentela terrena.

Como aquele Psicógrafo que traz páginas belíssimas, em grande velocidade e  linguagem perfeita.
Serve ao alto com grande proveito, mas não consegue exemplificar as lições por ele exaradas, influenciando negativamente a quem lhe divide a caminhada.

Como aquele Clarividente que narra cenários encantadores, caindo em lágrimas de grande alegria pelas presenças sublimes observadas.
Seu testemunho é inspirador,  mas não consegue mirar as feridas dos desamparados do caminho, perdendo a chance de estender-lhes uma migalha de caridade, por esperança nas bênçãos do Mundo Maior.

Como aquele Clariaudiente que comove platéias com palavras do Grande Além, narrando histórias maravilhosas de seus contatos com os diversos planos da existência.
Suas experiências são motivantes, mas falta-lhe a audição para os corações aflitos e sofredores na experiência cotidiana.

Como aquele trabalhador do Passe que estende suas mãos incontáveis vezes, percebendo as necessidades do receptor e proporcionando experiências únicas para aqueles já sensíveis às suas vibrações de saúde e paz.
Sua dedicação é abençoada, mas falta-lhe estender espontaneamente a mão amiga nos muitos cometimentos do caminho, apoiando o cônjuge nos afazeres domésticos, auxiliando a vizinhança e colaborando com os colegas de profissão.

Temos sim que expandir nossos potenciais perante os projetos dos bondosos Mensageiros Superiores, mas não posterguemos o desenvolvimento dessas outras habilidades.

Habilidades tantas vezes esquecidas, vinculadas à renúncia, à paciência, à humildade e ao serviço, à prudência e à lealdade, ao devotamento e à correção.

…que possas mostrar os teus préstimos diante daqueles que te partilham a luta, porque somente assim serás suporte firme da luz e chama da própria luz.

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XVI
DOS MÉDIUNS ESPECIAIS
Aptidões especiais dos médiuns.
Quadro sinóptico das
diferentes espécies de médiuns.

 Questão 185. Além das categorias de médiuns que acabamos de enumerar, a mediunidade apresenta uma variedade infinita de matizes, que constituem os chamados médiuns especiais, dotados de aptidões particulares, ainda não definidas, abstração feita das qualidades e conhecimentos do Espírito que se manifesta.  A natureza das comunicações guarda sempre relação com a natureza do Espírito e traz o cunho da sua elevação, ou da sua inferioridade, de seu saber, ou de sua ignorância. Mas, em igualdade de merecimento, do ponto de vista hierárquico, há nele incontestavelmente uma propensão para se ocupar de uma coisa preferentemente a outra. Os Espíritos batedores, por exemplo, jamais saem das manifestações físicas e, entre os que dão comunicações inteligentes, há Espíritos poetas,  músicos, desenhistas, moralistas, sábios, médicos, etc. Falamos dos Espíritos de mediana  categoria, por isso que, chegando eles a um certo grau, as aptidões se confundem na unidade da perfeição. Porém, de par com a aptidão do Espírito, há a do médium, que é, para o primeiro, instrumento mais ou menos cômodo, mais ou menos flexível e no qual descobre ele qualidades particulares que não podemos apreciar.
Façamos uma comparação: um músico muito hábil tem ao seu alcance diversos violinos, que todos, para o vulgo, são bons instrumentos, mas que são muito diferentes uns dos outros para o artista consumado, o qual descobre neles matizes de extrema delicadeza, que o levam a escolher uns e a rejeitar outros, matizes que ele percebe por intuição, visto que não os pode definir. O mesmo se dá com relação aos médiuns. Em igualdade de condições quanto às forças mediúnicas, o Espírito preferirá um ou outro, conforme o gênero da comunicação que queira transmitir.
Assim, por exemplo, indivíduos há que, como médiuns, escrevem admiráveis poesias, sendo certo que, em condições ordinárias, jamais puderam ou souberam fazer dois versos; outros, ao contrário, que são poetas e que, como médiuns, nunca puderam escrever senão prosa, mau grado ao desejo que nutrem de escrever poesias. Outro tanto sucede com o desenho, com a música, etc. Alguns há que, sem possuírem de si mesmos conhecimentos científicos, demonstram especial aptidão para receber comunicações eruditas; outros, para os estudos históricos; outros servem mais facilmente de intérpretes aos Espíritos moralistas..
Numa palavra, qualquer que seja a maleabilidade do médium, as comunicações que ele com mais facilidade recebe trazem geralmente um cunho especial; alguns existem mesmo que não saem de uma certa ordem de idéias e, quando destas se afastam, só obtêm comunicações incompletas, lacônicas e não raro falsas. Além das causas de aptidão, os Espíritos também se comunicam mais ou menos preferentemente  por tal ou qual intermediário, de acordo com as suas simpatias. Assim, em perfeita igualdade de condições, o mesmo Espírito será muito mais explícito com certos médiuns, apenas porque estes lhe convêm mais.

*** Curiosidades ***

– Estamos muito acostumados com as modalidades mais comuns de mediunidade, mas ela se divide em inúmeras, como diz Kardec. Exemplo disso temos no livro ‘História do Espiritismo’: um médium que produzia um fenômeno diferente, onde uma mão aparecia, saindo do seu lado na altura de sua cintura e apertava a mão dos observadores, segurava objetos e desaparecia. Aparecia quando ele determinava, mas parecia mover-se sem estar vinculada à vontade do médium. Outro exemplo disso são os médiuns que levitavam como D.D. Home na Inglaterra e Mirabelle aqui no Brasil.

-Divaldo Franco nos conta que estava com Chico quando avisaram que um menino tinha caido num poço MUITO profundo. As pessoas chamaram o Chico, que logo pediu uma corda. Colocaram a corda no poço e retiraram o menino. Parecia nada demais.
Mais tarde, Divaldo verificou que a corda era muito muito muito menor que o poço!

– Confesso que demorei para entender a frase final de Emmanuel: “serás suporte firme da luz e chama da própria luz.
Se eu entendi, o médium é chama da luz quando exercita a mediunidade junto às Esferas Superiores e é suporte da luz quando cumpre bem suas muitas obrigações nos caminhos da Terra. Aceito sugestões!

– Gostei muito da imagem pouco habitual de Jesus auxiliando na carpintaria.
Estamos condicionados a pensar em Jesus orando, pregando, curando, sofrendo ou ascendendo. Mas pouco lembramos do Jesus integrado na família terrena.
Talvez porque nós mesmos, inconscientemente, separamos religião de família!!

-Após concluir o texto desta meditação, tive um exercício prático do ensinamento. Ocorreu comigo um pequeno incidente doméstico onde terminei machucado. Na hora, dúzias de pensamentos daninhos me invadiram. Fiquei desequilibrado por algumas horas, até que me acalmei e comecei a lembrar desse texto de estudo. E comecei a rir sozinho!
Como nossas boas intenções são frágeis! Pedi desculpas a todos e tentei me corrigir.
Assim, aprendi que devemos nos perdoar se ainda não conseguimos fazer o certo naquela hora do escândalo. Mas nunca, nunca, NUNCA desistir.  Continuar treinando sempre!
Afinal, n
ossa felicidade depende dessa persistência.

5 respostas para 30-Por Que Fazes Isso Assim?

  1. claudie (Di) disse:

    Gostei disso! ” Gostei muito da imagem pouco habitual de Jesus auxiliando na carpintaria.
    Estamos condicionados a pensar em Jesus orando, pregando, curando, sofrendo ou ascendendo. Mas pouco lembramos do Jesus integrado na família terrena.
    Talvez porque nós mesmos, inconscientemente, separamos religião de família!!”
    Acho que nós separamos inconscientemente, porque não conseguimos ser as duas coisas ao mesmo tempo! Ou seja, nos condicionamos a vigiar mais nossas atitudes quando estamos exercitando qualquer tipo de trabalho religioso, e não conseguimos agir com tão boa-vontade em nossas tarefas do dia-a-dia;
    Isso mostra o quanto precisamos exercitar para que as atitudes, pensamentos, intenções, sejam os mesmos que procuramos ter quando estamos ligados aocentro, no estudo do evangeljo, etc…
    Nossa alma é indivisível; temos que evoluir de modo integral;
    mas pode ser de grão em grão…O Pai espera.
    Bjim…

  2. Inacio disse:

    Lindo seu comentário, Frau Bugoo !
    Divaldo falou sobre reações em momentos extremos.
    Ele disse que não sabe como irá reagir, porque o emocional trai a gente.
    Mas como já foi assaltado uma vez, ele desconfia das reações, mas não tem certeza.
    Mas espera não fazer como Chico no dia do avião … rsrsrs
    E nós?
    Eu, se encarar altura por muito tempo, as pernas fraquejam e eu caio sentado.
    Muito estranho.
    bjokas…

    • claudie (Di) disse:

      Minha fraqueza mais imediata, vc sabe, pode me atacar a qualquer momento…rsrsrs
      Mas acho que as piores são aquelas que nem desconfiamos, que estão adormecidas em nosso interior e podem nos surpreender nos momentos de dificuldade.
      É por elas que temos que exercitar as atitudes no Bem, conscientemente, para que possam ir sendo suavemente modificadas, em nosso íntimo.
      Em tempo: Alles Gute zum Geburtstag, Herr Ignatius!!

  3. claudie (Di) disse:

    Esses que assim o fazem, possuem inúmeras razões para fazê-lo; podem não escutar por “medo” ou “insegurança”, pois ao escutar realmente àquele que desnuda seu coração para mim, passarei a me defrontar com uma realidade que talvez não seja capaz de lidar…
    Podem doutrinar tecendo admiráveis argumentos, mas não se fundem na dor daquele que mal procede por ignorância, pois podem ainda não saber lidar com as próprias dores…
    Suas psicografias podem emocionar milhares, mas têm o coração frio às necessidades dos que lhe são mais próximos…
    Todos esses dons, podem servir para isolar aquele que os possui em altas esferas de saber e conteúdo, tirando-os do convívio e do amparo caridoso daqueles que lhes procuram…
    Estão a salvo das misérias humanas, vivendo em pleno contato com as verdades angelicais, mas se esquecem que tudo aquilo que lhes é dado, não o é para proveito próprio, mas para dar frutos a quem tem fome e sede. Se vivem nas alturas, podem um dia, sem aviso, serem chamados para dar testemunho de suas próprias dificuldades, e aí? Saberão trilhar, com a mesma segurança, os caminhos mais áridos? Saberão lidar com a dor, quando esta se lhes apresentar?
    Me lembro (sempre) daquele trecho da carta de Paulo – “Ainda, que eu falasse a língua dos anjos, sem amor, eu nada seria….”
    Um bjo especial de aniversário! (from BUGU).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s