52-Ampara-me, Senhor!

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 52-Pedidos)
Reunião pública de 15-7-60
Questão LM no.291 inciso 18.

Nesse final do ano de 2011, os juízes decidiram pela inocência da viúva do milionário da Mega-Sena que foi assassinado.

Ela era uma cabeleireira jovem e atraente.
Ele, um aposentado portador de deficiência física.

Atraído pelos encantos dela, nunca tinha recebido maiores atenções.
Até que, ao tirar um bilhete premiado na Mega-Sena, ele realizou um grande sonho:
ela aceitou sua proposta de casamento.

Anos depois, ele é assassinado.
Ela alegou inocência, acusando um dos seguranças.
E herdou todo patrimônio junto com uma filha.

Nesse capítulo, Emmanuel assevera o quanto certos pedidos feitos para a Espiritualidade podem, uma vez atendidos, nos colocar perante grandes armadilhas da vida.

Como detentores de grandes dificuldades interiores, bastará trilhar certo caminho que tenha aquela tentação específica e boa parte de nosso encarne poderá encontrar-se no prejuízo.

No caminho da riqueza imerecida, encontraremos nossa preguiça e a rapinagem alheia.

Rogando ao Mundo Maior pelo poder inoportuno, talvez descubramos quão violento ainda arde nosso coração.

Quantos alcançaram os segredos da beleza efêmera e se afundaram no vício?

Quantos se locupletaram com a posse do muito e mergulharam no pântano da usura?

É frequente observarmos nobres companheiros sofrendo sérias acusações públicas, simplesmente porque alcançaram a fama desejada e não dispunham de alicerces respeitáveis.

Rogando aos Espíritos pelo conforto excessivo, estaremos nos tornando escravos das facilidades e atraindo para nós a atenção dos invejosos.

Pede a todos eles para que te amparem o aperfeiçoamento…“, recomenda-nos Emmanuel.

Não que estejamos adotando as velhas fórmulas de cilício e sofrimento, para purificar a alma pela dor do corpo.
Não! Sem velhas apologias.

Meditemos com lucidez:

… porque, aprimorando a ti mesmo, perceberás que a existência na Terra é estágio na escola da evolução, em que o trabalho constante nos ensina a servir para merecer e raciocinar para discernir.” (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXVI
PERGUNTAS QUE SE PODEM FAZER AOS ESPÍRITOS

Questão 291. Perguntas sobre os interesses morais e materiais

18ª Podem os Espíritos dar conselhos sobre coisas de interesse privado?

“Algumas vezes, conforme o motivo. Isso também depende daqueles a quem tais conselhos são pedidos. Os que se relacionam com a vida privada são dados com mais exatidão pelos Espíritos familiares, que são os que se acham mais ligados à pessoa que os pede e se interessam pelo que lhes diz respeito; é o amigo, ‘o confidente dos vossos mais secretos pensamentos. Mas, é tão freqüente os cansardes com perguntas banais, que eles vos deixam. Tão absurdo fora perguntardes, sobre coisas íntimas, Espíritos que vos são estranhos, como seria o vos dirigirdes, para isso, ao primeiro indivíduo que encontrásseis no vosso caminho. Jamais deveríeis esquecer que a puerilidade das perguntas é incompatível com a superioridade dos Espíritos. Preciso igualmente é leveis em conta as qualidades do Espírito familiar, que pode ser bom, ou mau, conforme suas simpatias pela pessoa a quem se ligue. O Espírito familiar de um homem mau é mau Espírito, cujos conselhos podem ser perniciosos, mas que se afasta e cede o lugar a um Espírito melhor, se o próprio homem se melhora. Unem-se os que se assemelham,”

*** Curiosidades ***

– A questão dos pedidos é tão séria que iremos encontrar instruções sobre isso tanto por Jesus, na Oração do “Pai Nosso” por exemplo, quanto pelos Espíritos, nos modelos de orações encontrados no final do Evangelho Segundo o Espiritismo (ESE).
Por que? Nossos pedidos, além de criar vastos campos de atração, refletem como estão direcionados e como estamos atuando sobre nossos desejos. No capítulo 02-Hálito Mental, vimos que Emmanuel situou o desejo no ponto mais próximo do espírito. Quando desejamos, não só estamos dando voz ao nosso estado moral, mas também estamos reafirmando para nós mesmos qual a direção correta a seguir para nossa evolução. Muito sério!

– O “Pai Nosso” é uma coletânea de desejos. Alguns deles não bem compreendidos.
Seja feita Vossa vontade …” costuma ser esquecida quando a vontade Dele não bate com a nossa. E vem aquela revolta ….
Perdoai nossas ofensas assim como nós perdoamos …” é também mal compreendido.
As palavras “assim como”, podemos substituir por “na mesma proporção que”.
Ou seja, seu eu não buscar perdoar, não receberei o perdão Divino.

– Mesmo o trabalho na Caridade dispõe de armadilhas ocultas.
Logo, se eu desejo trabalhar com a Caridade, o melhor caminho é unir-me a um grupo que já tenha experiência na matéria que pretendo dedicar-me.

-Reparem que Emmanuel não alerta contra a riqueza, mas contra a “riqueza imerecida”. Não alerta contra a beleza, mas contra a “beleza efêmera”. E assim por diante.
Todas as coisas existem por bençãos de Deus. Nosso mau uso é quem nos põe a perder. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s