60-Boa Semente

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 60-Problema contigo)
Reunião pública de 19-8-60
Questão LM no.220 inciso 14.

Quer saber? Deixa isso para a próxima encarnação!
Melhor não mexer com essas forças!
Falta tempo! Quando eu estiver menos enrolado…
O mundo não ficará melhor nem pior só por minha causa.

Já ouvi estas frases algumas vezes.
Todas elas falam de uma mesma dificuldade: assumir responsabilidades.
Como isso é difícil!

Tão difícil é que o próprio Jesus descreve estas pequenas falências na famosa Parábola do Semeador.

As sementes que caem na beira da estrada
e são devoradas pelas aves.

As sementes que caem em solo raso, pedregoso,
e são queimadas pelo sol.

As sementes que caem entre espinhos
e são sufocadas por estes.

As sementes que caem na boa terra.

Quem lembra da passagem em Mateus 13:10, sabe:
– Que as aves são o mal, que logo subtrai dos corações a semente que foi pouco compreendida.

– Que “solo raso e pedregoso” fala da semente que foi recebida com alegria, tenta germinar, mas não tem sustento contra o menor escândalo.

– Que os espinhos são os cuidados do mundo que nos sufocam o tempo e as prioridades.

E, por fim, só na boa terra a semente se multiplica por 30, 60 ou 1 cento.

Sim, o Criador não condena as criaturas, mas corrige as criaturas desajustadas, por intermédio de suas leis.” – diz-nos Emmanuel.

Podemos sempre escolher se iremos nos reformar, usando a boa semente da mediunidade em nosso favor, ou se iremos aguardar que a Justiça Divina nos procure com outras formas de lições e quitação.

A Divina Sabedoria nos favorece com escolas, mas quem decide por alfabetizar-se somos nós, deixando de vez a furna da ignorância.

A Divina Bondade provoca o surgimento do medicamentos para cada doença, mas quem promove o uso disciplinado do remédio somos nós, abandonando então os abusos.

O Divino Amor acolhe os doentes mentais, mas quem dá tratamento à loucura somos nós, afastando-nos dos desequilíbrios.

A Divina Compaixão opera soluções para cada problema do cotidiano, mas quem se envolve com as atividades e as conclui, somos nós, dando costas, enfim, ao abraço da preguiça.

É assim que Ele, na Terra de hoje, promove,
através da Doutrina Espírita,
todos os recursos precisos a que te dediques,
com êxito,
à sagrada missão da mediunidade,
em teu próprio favor,
mas, se desertas da obrigação,
o resultado de semelhante atitude é problema contigo.
”  (Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXVII
DA FORMAÇÃO DOS MÉDIUNS

Perda e suspensão da mediunidade

220. A faculdade mediúnica está sujeita a intermitências e a suspensões temporárias, quer para as manifestações físicas, quer para a escrita. Damos a seguir as respostas que obtivemos dos Espíritos a algumas perguntas feitas sobre este ponto:

14ª Se é uma missão, como se explica que não constitua privilégio dos homens de bem e que semelhante faculdade seja concedida a pessoas que nenhuma estima merecem e que dela podem abusar?

“A faculdade lhes é concedida, porque precisam dela para se melhorarem, para ficarem em condições de receber bons ensinamentos. Se não aproveitam da concessão, sofrerão as conseqüências. Jesus não pregava de preferência aos pecadores, dizendo ser preciso dar àquele que não tem?”.

*** Curiosidades ***

– As figuras dessa publicação me ajudaram muito. Primeiro a figura inicial do beija-flor lutando contra o incêndio. Sabemos que ele não apagará o fogo, mas terminará sua caminhada sabendo que fez em tudo o seu melhor. Nosso esforço é para auxiliar o mundo. Mas o mundo é imenso! Sempre terá grandes necessidades. Por fim, estamos apenas auxiliando sempre a nós mesmos …

-A última figura se entitula “Renúncia”. De fato, se não conseguirmos renunciar aos convites do mundo, sempre com o devido bom senso, não conseguiremos levar à cabo nosso compromisso com a mediunidade. Esta parte É MUITO DIFÍCIL !!

-Tenho profundo respeito e devoção à Parábola do Semeador. Ela nos mostra como Jesus era consciente sobre a forma que suas palavras seriam recebidas, nos fala dos mecanismos de compreensão das parábolas e nos remete a um exame de consciência.
Que tipo de solo eu tenho sido, afinal?? (psssi !!! esta resposta é só sua. rsrsrs)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s