61-Mecânico x Intuído

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 61-Sintonia mediúnica)
Reunião pública de 22-8-60
Questão LM no. 215.

Animismo !!
(Não, não, eu nãããoo !)

Assim que cheguei no grupo de trabalho, o “bicho papão” recebia este nome.

Como saber se aquilo que ocorria era proveniente de mim mesmo (minha alma ou ânima) ou se vertia dos espíritos?

Vocês não estão vendo que isso é só animismo? Não tem espírito nenhum ali. — dizia-nos alguém pouco mais experiente.

Mas, até que ponto isto é realmente problema para nós médiuns?

Para cooperar na mediunidade, a serviço do bem, não deves esperar que os instrutores desencarnados te impulsionem as peças orgânicas, como se fosse um fardo movido a guindaste.” — solicitam-nos os bons espíritos pelas palavras sensatas de Emmanuel.

É muito bom quando o braço move sozinho, quando o corpo percebe sensações estranhas, quando a gente não consegue explicar de onde veio aquela orientação tão acertada. Ou quando nós falamos o nome de um familiar ou o fato principal de um dado problema.

Isto nos traz certeza que é a direção certa!

Agora, imagina se contratamos alguém para trabalhar em nossa casa e temos que estar todo o tempo movendo suas mãos no sentido certo, dando as palavras para atender as pessoas ou oferecendo sinais de que o trabalho está correto? Verdadeiro marionete.

Não seria isso desconsiderar o potencial do trabalhador?

Se o médium mecânico constrói certezas, o médium intuitivo edifica sentimentos e idéias, no constante esforço de vigilância da consciência.

Sempre teremos condição de contribuir com o Mundo Maior, seja qual for nossa situação.

Exemplificando, Emmanuel lembra da situação de um pedreiro construindo a parede de um prédio.

Ninguém movimenta suas mãos, mas ele trabalha sozinho? Não.
Sobre ele, tem a influência do espírito do Mestre-de-obras. Sobre este, o comando do espírito do Arquiteto. Sobre este, as diretrizes do Urbanista que gabarita a via pública.

O mesmo ocorre com um professor. Sobre ele, há um Supervisor, que responde a um Diretor, que recebe influência de um Técnico de Ensino, que age com o espírito das diretrizes do Ministério da Educação.

Raramente agimos sozinhos! Estamos SEMPRE sob influências.

E entendendo que todos nos encontramos consideravelmente distantes do bem verdadeiro, não percas tempo perguntando se o bom pensamento te pertence à cabeça.

Lembra sempre que o bem puro verte essencialmente da Divindade.
Confie em Seus Mensageiros e se envolva com o servir.
Uma vez eles confiando em nossos esforços, estaremos certamente amparados nessa grande obra de Amor.

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XVII
DA FORMAÇÃO DOS MÉDIUNS

215. Se ao médium não foi concedido ser exclusivamente mecânico, todas as tentativas para chegar a esse resultado serão infrutíferas; erro seu, no entanto, fora o julgar-se, em conseqüência, não aquinhoado. Se apenas é dotado de mediunidade intuitiva, cumpre que com isso se contente e ela não deixará de lhe prestar grandes serviços, se a souber aproveitar e não a repelir.

Desde que, após inúteis experimentações, efetuadas seguidamente durante algum tempo, nenhum indício de movimento involuntário se produz, ou os que se produzem são por demais fracos para dar resultados, não deve ele hesitar em escrever o primeiro pensamento que lhe for sugerido, sem se preocupar com o saber se esse pensamento promana do seu Espírito ou de uma fonte diversa: a experiência lhe ensinará a distinguir.

Aliás, é freqüente acontecer que o movimento mecânico se desenvolva ulteriormente. Dissemos acima haver casos em que é indiferente saber o médium se o pensamento vem de si próprio, ou de outro Espírito. Isso ocorre quando, sendo ele puramente intuitivo ou inspirado, executa por si mesmo um trabalho de imaginação.

Pouco importa atribua a si próprio um pensamento que lhe foi sugerido; se lhe acodem boas idéias, agradeça ao seu bom gênio, que não deixará de lhe sugerir outros. Tal é a inspiração dos poetas, dos filósofos e dos sábios.

*** Curiosidades ***

-Animismo ainda é palavra feia em muitos grupos. E não deveria.
Afinal, Kardec nos alerta que mesmo nos antigos fenômenos das mesas girantes, onde mesas respondiam perguntas por batidas ou giros, mesmo lá os espíritos usavam recursos físicos e intelectuais do médium para mover objetos e responder perguntas.
Ou seja, o médium SEMPRE participa.
A arte está em interferir o menos possível.

-O medo do animismo já foi tão grande que nos antigos terreiros de Candomblé, os médiuns que “incorporavam” tinham que segurar um carvão em brasa para provar que não era ele quem segurava, mas sim a entidade. Credo!

-A intuição é frequentemente confundida com o animismo devido a sutileza da comunicação. Os espíritos alertam que esta será a mediunidade do futuro, onde ninguém precisará ser pego à força, mas sim apenas comunicado.

-Apesar de ter escrito “minha alma”, é correto dizer que eu tenho uma alma?
Não acho. Eu SOU a alma (espírito encarnado) e TENHO um corpo. Concorda?

-A questão 215 é dúvida em muitos lugares ainda hoje. Kardec é sempre muito atual.

-A fraseE entendendo que todos nos encontramos consideravelmente distantes do bem verdadeiro…mexeu comigo! Vale observar que Emmanuel se inclui na afirmação.

Anúncios

2 respostas para 61-Mecânico x Intuído

  1. Diciplina, fe, coragem e respeito!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s