72-A Cura

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 72-Obsessão e cura)
Reunião pública de 30-9-60
Questão LM no.254 inciso 5.

Em 23 de junho de 1944 desencarnou, devido a ruptura de um aneurisma, um irmão do médium Divaldo Pereira Franco chamado José.

Divaldo Franco já era médium naquele tempo, mas não conhecia a Doutrina Espírita. Sentiu, de repente, uma forte constrição física.
Era a presença obsessiva do irmão.
E não mais conseguiu andar.

Contando apenas 16 anos, Divaldo passou seis meses sofrendo de paralisia nas pernas

Uma prima de Divaldo conhecia D. Ana Ribeiro Borges, excelente espírita, e pediu que essa senhora fosse visitá-lo. Lá estava ela no dia 5 de dezembro de 1944.

—Não é paralisia. É uma obsessão. — esclareceu a médium.
—Como assim? Ele está mentindo? — exclamou D.Anna Franco, mãe de Divaldo.

Mãe de 13 filhos, D. Anna Franco mantinha a disciplina pelo método antigo: um grosso cinturão pendurado na porta do quarto. Divaldo olhou sua mãe e se apavorou.

—Tô mentindo não, tô mentindo não! A perna não mexe mesmo.

Após conversar com a entidade espiritual e convencê-lo a seguir com os mentores presentes, D. Ana Borges deu um passe no rapaz.

Para espanto dos presentes, Divaldo voltou a andar na mesma hora.

A médium explicou então que Divaldo precisava ir a um Centro Espírita e estudar a Doutrina Codificada por Kardec.
E assim, tudo começou.

***

Foi buscando a cura de um processo obsessivo que Divaldo Franco teve seu primeiro contato com a Doutrina Espírita, redefinindo toda sua vida.

Mas … e se Divaldo ou sua família não tivessem seguido a recomendação?

Se o enfermo guarda a receita no bolso e foge à instrução indicada, não adianta o esforço do clínico ou do cirurgião que despendem estudo e tempo para servi-lo.” – diz-nos Emmanuel.

A Doutrina Espírita é nossa medicação perante todos os processos obsessivos.
Verdadeira ciência curativa da alma, ela sempre agirá na cura do obsessor e do obsidiado.

Logo, se reconhecemos que nossa companhia espiritual inferior é um irmão em Cristo e desejamos sua renovação, trabalhemos na nossa própria renovação.

Cada orientação nobre que recebemos, cada conselho precioso, cada princípio evangélico aprendido são verdadeiros tesouros em nosso poder.

Tesouro reunido para resolver tormentos do nosso coração, tratar cegueiras do nosso entendimento, dirimir paralisias do nosso amor e renovar primeiro nossa vida; depois, por consequência, a vida de muitos.

Entretanto, como no caso da receita formulada por médico abnegado e culto, em teu favor, a lição do Evangelho consola e esclarece, encoraja e honra aqueles que a recebem, mas, se não for usada, não adianta.

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXIII
DA OBSESSÃO

254. Terminaremos este capítulo inserindo as respostas que os Espíritos deram a algumas perguntas e que vêm em apoio do que dissemos.
(…)

Não se pode também combater a influência dos maus Espíritos, moralizando-os?

“Sim, mas é o que não se faz e é o que não se deve descurar de fazer, porquanto, muitas vezes, isso constitui uma tarefa que vos é dada e que deveis desempenhar caridosa e religiosamente. Por meio de sábios conselhos, é possível induzi-los ao arrependimento e apressar-lhes o progresso.”

– Como pode um homem ter, a esse respeito, mais influência do que a têm os próprios Espíritos?

“Os Espíritos perversos se aproximam antes dos homens que eles procuram atormentar, do que dos Espíritos, dos quais se afastam o mais possível. Nessa aproximação dos humanos, quando encontram algum que os moralize, a princípio não o escutam e até se riem dele; depois, se aquele os sabe prender, acabam por se deixarem tocar. Os Espíritos elevados só em nome de Deus lhes podem falar e isto os apavora. O homem, indubitavelmente, não dispõe de mais poder do que os Espíritos superiores, porém, sua linguagem se identifica melhor com a natureza daqueles outros e, ao verem o ascendente que o homem pode exercer sobre os Espíritos inferiores, melhor compreendem a solidariedade que existe entre o céu e a terra.

“Demais, o ascendente que o homem pode exercer sobre os Espíritos está na razão da sua superioridade moral. Ele não domina os Espíritos superiores, nem mesmo os que, sem serem superiores, são bons e benevolentes, mas pode dominar os que lhe são inferiores em moralidade.” (Veja-se questão n. 279.)

*** Curiosidades ***

-Um paralítico andou? Onde foi que já vimos isso?
Pois é, os milagres de Jesus ainda hoje ocorrem. Muitos paralíticos que sofrem por aí estão vivendo situações de obsessão. Paralíticos, doentes crônicos, distúrbios mentais e outros.
Isso sem pensar nas doenças socialmente aceitas: alcoolismo, sexolatria, sovinices, melancolias, agressividade crônica, egoísmos, ciúmes, repressões e outros.
Uma grande escola de almas doentes!

-E esta não foi a única vez que Divaldo se envolveu com a cura de paralíticos.
No livro “Semeador de Estrelas”, Suely Caldas Schubert narra uma situação surpreedente com Divaldo e o “deus” Huracán na Guatemala, 1985. Pode conferir em:
http://www.palavraespirita.com.br/pe_referencia.php?texto_ref=sim&referencia=1&id_edicao=107&texto=7&texto_det=1
É um capítulo grande, mas, quem lê-lo até o final, duvido que não se emocione!

-Porém, a verdadeira cura não é do corpo. É da alma.
E fiquei surpreso ao perceber que uma obsessão é a chance que temos de educar alguém que não está sabendo nos amar. Tudo que aprendermos, o obsessor acaba aprendendo também. Como ele não consegue e não prefere a união com espíritos iluminados, acaba recebendo nossa influência para sua evolução.

-Pelo texto de Kardec, aprendemos que as obsessões, assim como as doenças, existem devido nossa necessidade de evoluir. Portanto, seja a dificuldade que for, a grande pergunta é e sempre será: O que eu preciso aprender agora?

-A narrativa sobre Divaldo Franco foi baseada no livro  “O Semeador de Estrelas” – de Suely Caldas Schubert. Nossa homenagem a irmã Suely Caldas pelo esforço de divulgar a vida do querido tribuno baiano Divaldo Franco, com páginas interessantes, emocionantes e altamente educativas.

4 respostas para 72-A Cura

  1. claudie (Di) disse:

    Meu querido, em primeiro lugar, creio ser importante destacar este trecho: “Verdadeira ciência curativa da alma, ela sempre agirá na cura do obsessor e do obsidiado.” Sim, a cura (ou libertação) se dará, mas é importante lembrarmos que nem sempre isto acontecerá no decurso de uma vida; por vezes, mais de uma encarnação é necessária até que ambos modifiquem seu campo mental /emocional. Também acho que a Doutrina é ferramenta esclarecedora, mas a reforma íntima pode se dar mesmo que não se venha a conhecer o Espiritismo…
    Outro aspecto interessante que o texto me despertou, foi o de que muitas vezes vamos ao Centro espírita buscar nossa cura, mas somos para lá encaminhados (por amigos espirituais), pois temos nossa parcela de doação ao trabalho mediúnico, e o desequilíbrio eventual que nos leva ao Centro é uma maneira de nos encaminhar ao nosso trabalho futuro…Depois que eu já estiver recuperado, devo então fazer a minha parte no auxílio e amparo a outros necessitados…
    Quem se cura, e não começa a produzir, logo, logo, poderá “enferrujar e se desajustar” de novo…
    E concordo! A cura começa, em primeiro lugar, dentro de nós e na nossa vontade firme e sincera de buscar melhorar…
    Parabéns!! O texto está ótimo! Vc está virando “profissa”!! Bjocas!!

    • inacioqueiroz disse:

      Oi Di,
      Realmente, uma vida é curta para alguns grandes dramas.
      Lembra do Eustáquio (do livro Eustáquio – 17 séculos de uma Trajetória) ?
      Muitos dos envolvimentos precisaram mais de uma vida para encontrar harmonia.

      Realmente, a Codificação não é o único caminho.
      Gosto muito de uma meditação sobre aquela frase de Jesus (Jo 14:6):
      “Eu sou o caminho, a verdade a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim.”

      Numa primeira análise, isso parece uma grande crise de vaidade e prepotência.
      Mas há, regendo o Planeta, uma consciência superior que encaminha todas as outras.
      E, naquele momento, não era Jesus, filho do homem, quem falava.
      Quem falava era “O Caminho, A Verdade, A Vida” pelo médium Jesus.

      Então eu entendo que esse caminho também está na Codificação, assim como está no Baghavad Gita,
      na Bíblia, no Alcorão, no Bardo Thodol, o Zend Avesta e outros.
      Todos são meios (médiuns) de uma idéia. E todos trabalham esta grande reforma interior.

      Eu entendo ainda, como vc pontuou, que a dor nos leva ao socorro e aos primeiros passos na renovação.
      E, depois que ela passa, nos resta ter compreendido que aquele é o caminho para continuar crescendo.
      Mas crescendo como, se o tratamento da doença já acabou? Crescendo com a dor dos outros.
      Ou seja, trabalhando, tratando a dor dos outros.

      No todo, devo dizer que seu comentário está excelente e que ando me sentindo mais seguro para escrever.
      Se bem que o texto acima, parte é da Suely Caldas e parte é de Emmanuel (rsrsrs). Por isso ficou tão bom.
      Ah, e a lista de livros sagrados, eu fui na meditação 26 “Bendito o que Semeia” para relembrar. (rsrsrs)
      Nada se cria, tudo se copia. ai, ai. Bjão e obrigado.
      (https://estudandocomchicoxavier.wordpress.com/seara/anteriores/de-21-a-30/26-bendito-o-que-semeia/)

      • claudie (Di) disse:

        Ótimo comentário!! Confesso que fiquei impressionada com a lista dos livros sagrados…
        “Todos são meios (médiuns) de uma idéia. E todos trabalham esta grande reforma interior..” ADOREI isso!!!!!! Grande sensibilidade…
        No todo, só tem um senão: O livro se chama “Eustáquio – Quinze Séculos de uma Trajetória”. Vc aumentou a trajetória do Eustáquio em dois séculos…rsrsrs
        Não deu pra deixar passar…rsrsrs
        Bjocas!!!

      • inacioqueiroz disse:

        Que bom que vc não deixou passar!
        Eu me corrijo e a gente nunca sabe que vai ler isso depois.

        (E eu nem posso alegar que eram 15 séculos quando eu li o livro e agora já são 17 secs. rsrsrsrs)
        Bjão e obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s