70-Confia!

* Referência: Capítulos do Livro Justiça Divina – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do livro O Céu e o Inferno (CI) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 70-No grande adeus)
Reunião pública de 3-11-1961
CI – 2
a Parte – Cap. I – Item. 13.

SONY DSCEstou preparado para a morte daquela pessoa que tanto amo?
Não ???

Mas eu sei que ela, assim como eu, como você e como todas as pessoas que conhecemos, irão desencarnar mais cedo ou mais tarde.

Por que não consigo me preparar, então?
Por que é sempre TÃO difícil?

70-leito_morteNessa meditação, Emmanuel repassa esse momento tão doloroso que é a partida de um ente muito amado.

Os olhos cerrados.
Nossas lágrimas umedecendo o rosto agora inerte.

Para onde estará indo? – nós perguntamos.

Um adeus amargurado, segurando as mãos frias.
Ouvido colado no peito silencioso, como que buscando sinais de vida.
Só silêncio. Ninguém mais está ali.

Ergue as antenas da prece, no santuário da tua alma, e perceberás o verbo inarticulado dos que partiram…” – solicita-nos Emmanuel.

Eles também estão sofrendo pela partida, em outro plano.
Estendem as mãos sem conseguir nos enlaçar.

70-vivaQuerem dizer que está tudo bem, que nada acabou.
Em meio à saudade e ao amor, pedem que não desfaleçamos.
Respiram o aroma da eternidade e desejam nos inspirar esperança e força.

Estão livres agora.
E nos rogam paz e conformação para que eles possam caminhar rumo ao novo alvorecer.

Não lhes craves nos ombros a cruz da aflição, nem lhes turves a mente, no nevoeiro de pranto que te verte da angústia.” – convida-nos Emmanuel.

A melhor forma de honrar a pessoa querida é abraçar dignamente os deveres que nos confiaram.

Ajudando-os nas questões inconclusas, nos encaminhamentos necessários aos assuntos legados, estaremos construindo paz em seus corações.

Paz que será retribuída na hora do nosso retorno ao plano espiritual.
Em breve, estaremos reunidos outra vez!

Fidelidade e consolação por agora.
Como a árvore que precisa ser regada para produzir frutos e sombra, nossos companheiros precisam de nossa ajuda para serem nosso amparo e reconforto no momento certo.

70-VIDAAnte o fel da separação, trabalha com paciência e confia neles!…

E quando a agonia da suposta distância te constrinja os refolhos do espírito,
deixa que eles próprios te falem ao pensamento, sob a luz da oração.

(Emmanuel)

==&==

Leitura da Questão: O Céu e o Inferno (CI)
Segunda Parte – Exemplos
CAPÍTULO I – O PASSAMENTO

 

13.O estado do Espírito por ocasião da morte pode ser assim resumido:

Tanto maior é o sofrimento, quanto mais lento for o desprendimento do perispírito; a presteza deste desprendimento está na razão direta do adiantamento moral do Espírito; para o Espírito desmaterializado, de consciência pura, a morte é qual um sono breve, isento de agonia, e cujo despertar é suavíssimo.

*** Curiosidades ***

– Na verdade, a sensação de perda dos entes queridos sempre será um fato de difícil preparação anterior. Por mais que carinhosamente cuidemos daqueles que perdem seus parentes e sequemos as lágrimas daqueles que ficam inconsoláveis, o choque da perda sempre será mais fundo quando for O NOSSO ente querido. Mas, certamente, a duração dessa dor tem relação direta com nosso entendimento e nossos contatos com os planos espirituais. Sentir saudade pela ausência da pessoa, isso ocorrerá com a pessoa viajando ou morrendo. Mas, sabendo que a pessoa estará bem onde chegar e que a reencontraremos brevemente, isso nos reconfortará, tornando a saudade suportável.

– Pelo entendimento, compreendemos que morte é vida que continua em outro plano. Pelo contato com os planos espirituais, ganhamos comprovações daquilo que estudamos e entendemos, estruturando nossa confiança na vida futura, anunciada por Jesus e comprovada pelos espíritos amigos e mentores espirituais.
Isso é a fé raciocinada.

– E quando a perda é súbita? O que dizer para aquelas mães que perderam seus filhinhos ainda em tenra idade? Ou um cônjuge que viu o outro sair de casa para trabalhar e não retornou mais? São dores tão tremendas que Chico Xavier dedicou os últimos anos de sua vida exclusivamente produzindo cartas dos desencarnados para consolar aqueles que sofriam nos lares da Terra. Quando as lágrimas jorravam num atendimento fraterno, Chico Xavier apenas abraçava e chorava junto. Após isso, pedia confiança em nosso Pai Maior, que nunca abandona nenhum de seus filhos. E trazia, quando podia, alguma pequena notícia daquele que se foi. Deus abençoe MUITAS VEZES nosso irmão Chico!
E que possamos seguir seu exemplo no trabalho de consolar quem está sofrendo!

2 respostas para 70-Confia!

  1. Leonardo Prestes disse:

    Muito obrigado por nos lembrar da grande importância do consolo à quem nos procura. Podemos não ser o Chico, mas podemos aprender com ele.

    • inacioqueiroz disse:

      Eu quem sou muito grato pela sua atenção, Leonardo.
      Na verdade, toda vez que encontro o nome “Chico Xavier” em algum assunto, eu paro e presto atenção.
      Ele é, sem dúvida, um grande exemplo de como vivenciar o Espiritismo …

      Abração,
      Inacio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s