58-Onda, Onda, olha a Onda!

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB).
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec.
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 58-Equipe Mediúnica)
Reunião pública de 12-8-60
Questão LM no.331.

O seu orçamento cobre o mês todo?
Se sim, parabéns!
Oxalá permaneça sempre assim.

Mas são poucos os que fogem daquele exercício mensal de verificar quanto dispõe e quanto vai ter que pagar.


E se tiver família então, tudo complica.
Pior ainda quando descobrimos que alguém do grupo não está sabendo se organizar dentro do orçamento. Aquele filho que estoura a conta do celular, a empregada que esbanja nas pequenas coisas, a conta de luz que veio absurdamente alta ou aquelas prestações de móveis que nunca acabam.

O que fazer ? Conscientização !!

Nesse capítulo, Emmanuel ressalta a importância de cada mente dentro de um trabalho mediúnico.
Qual a economia de um lar, cada mente acrescenta harmonia ou trava o andamento do bom trabalho, segundo o campo mental em que vibre.

Observa, assim, a onda em que te situas.

Se eu adentro o trabalho e penso: “Que bom, Fulano irá participar como médium“, eu estou somando harmonia para reforçar o trabalho. Mas se completo a frase pensando “…mas Sicrano da platéia vai atrapalhar!“, eu debitei a harmonia que tinha acabado de somar.

Se penso com alegria “O irmão Beltrano irá falar de novo! Que benção.“, eu trouxe mais alegria para o trabalho, auxiliando o palestrante. Mas se acrescento “Ele é tão cansativo em tal assunto …“, disparei a desarmonia, neutralizando a primeira.

Se me aproximo refletindo “Como a reunião me auxilia…“, eu apoio as diversas medidas de auxílio que irão ocorrer. Mas se completo o pensamento com “… apenas a oração é muito longa e enfadonha“, eu retirei o benefício que tinha colocado.

Quem aprova e critica, ajuda e desajuda.

Um carro não consegue viajar se hora tem força à frente, hora tem força para trás, ao sabor da vontade de cada passageiro. Precisa, sim, de força contínua e disciplinada para direção certa, com perseverança e objetivo comum para todos.

Da mesma forma é a reunião mediúnica.

Se queres cooperar, dentro dela, a fim de que produza frutos de ordem e elevação, consolo e ensinamento, repara, acima de tudo, a onda em que te colocas.

==&==

Leitura da Questão: Livro dos Médiuns (LM)
CAPÍTULO XXIX
DAS REUNIÕES E DAS SOCIEDADES ESPÍRITAS

Questão 331.

Uma reunião é um ser coletivo, cujas qualidades e propriedades são a resultante das de seus membros e formam como que um feixe. Ora, este feixe tanto mais força terá, quanto mais homogêneo for. Se se houver compreendido bem o que foi dito (questão 282 desta obra, pergunta 5), sobre a maneira por que os Espíritos são avisados do nosso chamado, facilmente se compreenderá o poder da associação dos pensamentos dos assistentes. Desde que o Espírito é de certo modo atingido pelo pensamento, como nós somos pela voz, vinte pessoas, unindo-se com a mesma intenção, terão necessariamente mais força do que uma só; mas, a fim de que todos esses pensamentos concorram para o mesmo fim, preciso é que vibrem em uníssono; que se confundam, por assim dizer, em um só, o que não pode dar-se sem a concentração.

Por outro lado, o Espírito, em chegando a um meio que lhe seja completamente simpático, aí se sentirá mais à vontade. Sabendo que só encontrará amigos, virá mais facilmente e mais disposto a responder. Quem quer que haja acompanhado com alguma atenção as manifestações espíritas inteligentes forçosamente se há convencido desta verdade. Se os pensamentos forem divergentes, resultará daí um choque de idéias desagradável ao Espírito e, por conseguinte, prejudicial à comunicação. O mesmo acontece com um homem que tenha de falar perante uma assembléia: se sente que todos os pensamentos lhes são simpáticos e benévolos, a impressão que recebe reage sobre as suas próprias idéias e lhes dá mais vivacidade. A unanimidade desse concurso exerce sobre ele uma espécie de ação magnética que lhe decuplica os recursos, ao passo que a indiferença, ou a hostilidade o perturbam e paralisam. E assim que os aplausos eletrizam os atores. Ora, os Espíritos muito mais impressionáveis do que os humanos, muito mais fortemente do que estes sofrem, sem dúvida, a influência do meio.

Toda reunião espírita deve, pois, tender para a maior homogeneidade possível. Está entendido que falamos das em que se deseja chegar a resultados sérios e verdadeiramente úteis. Se o que se quer é apenas obter comunicações sejam estas quais forem, sem nenhuma atenção â qualidade dos que as dêem, evidentemente desnecessárias se tornam todas essas precauções; mas, então, ninguém tem que se queixar da qualidade do produto.

*** Curiosidades ***

-Essa meditação me deu uma rasteira. Já me peguei tantas vezes tecendo pequenas críticas sobre a performance de um ou de outro. Nunca pensei que isso seria fator de entrave para o trabalho e todo o grupo.
Como Joanna de Ângelis disse a Divaldo Franco: Silêncio! Silêncio interior!
Ainda terei que treinar mais esta lição.

-Como “treinar” o silêncio da crítica ???
Treinando o hábito de elogiar!! Quanto mais nos exercitamos em observar o acerto, o belo, o proveitoso, lentamente afastamos nosso olhar do erro, do traço feio, da dificuldade.
Claro, importa que saibamos ver os pontos onde melhorar.
Mas precisamos saber também nos educar para que estas percepções ocorram quando são necessárias e proveitosas, em nome da nossa harmonia e da harmonia do grupo.
 
 

-Na explicação de Kardec, temos o entendimento de uma antiga questão:
Por que tantas comissões científicas e universitárias se formaram e nenhuma comprovou a existência de espíritos?
Sem citar a questão do preconceito religioso, a própria postura do grupo de pesquisa em relação aos médiuns e aos espíritos destruia as chances de obter comunicações sérias e comprobatórias. Se principio o contato crendo encontrar enganadores e mentirosos, eu sintonizo nesse padrão e termino por obter este resultado. A neutralidade de Kardec, sua postura sábia ao afirmar ou negar só após detida observação de cada fenômeno, foi determinante em seu sucesso.

-Conhece a frase “Onda, Onda, olha a Onda” ?
É da música “Olha a Onda” do grupo Tchakabum (Axé Bahia – 2001). Muito tocada nas academias de ginástica, ela nos remete a um astral positivo que todos precisamos exercitar.

Anúncios

5 respostas para 58-Onda, Onda, olha a Onda!

  1. VALERIA RIBAS disse:

    http://www.facebook.com/pages/Seara-dos-Médiuns/180492382011426?ref=ts&fref=ts
    a página que o sr. administra é esta também? obrigada

  2. claudie (Di) disse:

    “Quanto mais nos exercitamos em observar o acerto, o belo, o proveitoso, lentamente afastamos nosso olhar do erro, do traço feio, da dificuldade.” ISSO É MUITO BOM!!
    Constatar o erro, e não procurar, com sinceridade, remediá-lo, é acomodação e agravamento de responsabilidade…lembrando que temos a OBRIGAÇÃO de resistir ao mal, no limite de nossas forças…
    Valeu!

  3. claudie (Di) disse:

    Olá, Inácio. Quando vi seu texto, imediatamente me “vestiu como uma luva” o seguinte trecho: “Essa meditação me deu uma rasteira. Já me peguei tantas vezes tecendo pequenas críticas sobre a performance de um ou de outro. Nunca pensei que isso seria fator de entrave para o trabalho e todo o grupo.”. Que, na mesma hora me ligou a um trecho explicativo do Estudo do Livro dos Médiuns(Parte 2, cap.2):”A observação de Kardec sobre as pessoas “cuja mediunidade é nula” se explica pela referência final à disposição de Espírito com que participam.. O que torna as pessoas negativas são as vibrações negativas do seu pensamento, que afetam prejudicialmente a reunião.”
    Na verdade, sempre soubemos que causava prejuízos na sintonia e harmonia de um trabalho mediúnico, esses pensamentos”fora de propósito”. O lance é que não damos o valor devido, mas muitas das vezes tb por negligência nossa. Se procurássemos saber mais a respeito, veríamos que os prejuízos equivalem a “subir uma ladeira de bicicleta”. Quantas obras temos em que Emmanuel, André Luiz, etc, falam da necessidade da harmonia mental num grupo mediúnico?
    Temos que nos convencer que erramos pela ação, pela palavra e tb pelo pensamento…
    O pensamento É ENERGIA…
    Abraços!

    • inacioqueiroz disse:

      Sabe, esse trecho foi um desabafo forte meu.
      Vc sabe que tem situações na casa que eu respiro fundo e vou em frente.
      Mas nunca imaginei o malefício de não combater essa postura mental, isso em termos de trato mediúnico.

      Nas orações que fiz hoje pela manhã, ainda me mostraram que faltava o “remédio”.
      Então eu coloquei mais 1 tópico nas curiosidades, falando em como reverter.

      Vc está certíssima: nós não damos o devido valor.
      E este hábito é obscuro perante as pessoas, mas degrada o contato mediúnico.
      Obrigado e beijão …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s